A força de vontade 

Davison Coutinho, colunista do JB, "desmitifica" a favela em sua dissertação de mestrado

O colunista da editoria "Comunidade em pauta" do JB, Davison Coutinho, fez a defesa de sua dissertação de mestrado nesta sexta-feira (1) na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Morador da Rocinha desde o nascimento, o já bacharel e agora mestre em design pela PUC buscou com seu estudo, "Design, Cultura Material, Artesanato e Memória no Museu de Favelas do Rio de Janeiro", revelar a natureza e a história verdadeiras da favela carioca, em uma contraposição ao estereótipo socialmente difundido. 

A dissertação de Davison propõe uma metodologia de análise estética em parceria com as artesãs da Rede do Museu de Favela do Rio de Janeiro (MUF). A pesquisa realiza oficinas colaborativas de criação da Exposição Mulheres Guerreiras 2013 com as artesãs do MUF realizando um diálogo com os conceitos de Memória, Cultura Material e Linguagem Pedagógica das Coisas do autor Pier Paolo Pasolini em conjunção com a metodologia do Design Participativo. 

As etapas do processo foram construídas todas pelos moradores e pesquisadores envolvidos, através das aulas expositivas e das oficinas práticas, nas quais é problematizada a ideia de uma identidade visual local. Os dados revelaram que a participação ativa dos moradores para construção de uma linguagem própria os transforma em potenciais multiplicadores dos fazeres locais, ressaltando os seus saberes da cultura material da comunidade envolvida.

Davison conta que o impulso inicial para sua dissertação veio de seu livro "Um olhar sobre a produção cultural na Rocinha", publicado em 2013: "A dissertação teve origem com minha curiosidade de investigar mais sobre a favela, desmitificar a sua imagem estereotipada, mostrar seu lado bom, a identidade dos moradores", explica. Para o designer, o principal objetivo do estudo "foi deixar registrado na memória a identidade da favela, através da voz do morador". 

O colunista do JB faz ainda uma observação fundamental: "Ainda é muito difícil esse espaço acadêmico ser conquistado pelo morador de favela, dentro de uma favela. Esse é o maior recado".