Raul Leal inaugura exposição 'Nada acabará, nada ainda começou'

De 20 de janeiro a 03 de abril no Centro de Referência da Música Artur da Távola, na Tijuca

O artista Raul Leal recebeu o Prêmio Viva o Talento da Prefeitura do Rio de Janeiro com a exposição Nada acabará, nada ainda começou que vai acontecer no Centro de Referência da Música Artur da Távola na Tijuca. O artista utiliza na exposição material ligado a eventos ocorridos no Palácio do Catete e no país, relacionados à música. Tendo a figura de Nair de Teffé como fio condutor são apresentados trabalhos em pintura, texto e vídeo formando uma instalação que ocupa todo o espaço da galeria do Centro Cultural.

Em 26 de outubro de 1914 a então primeira-dama do Brasil, Nair de Teffé, organizou uma recepção nos salões do palácio do Catete onde foram executadas obras de compositores populares brasileiros, culminando com a apresentação do Corta-Jaca, maxixe da compositora Chiquinha Gonzaga. A repercussão foi a pior possível, abalando ainda mais a pouca popularidade do presidente Hermes da Fonseca.

Ruy Barbosa declarou que nosso governo estava prestando as mesmas honras que merecia a música de Wagner às expressões mais chulas da nossa cultura, o mesmo Wagner que execrou a música de outros compositores que não aderiam ao seu credo musical, condenando-os à clandestinidade e a um preconceito sobre suas obras que durou décadas.

Na exposição é apresentada uma grande colagem de imagens que conecta passado e presente e nos faz refletir sobre os processos de aceitação e exclusão das manifestações culturais.

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais