Cinema brasileiro será destaque no Festival de Locarno

Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, divulgou a programação da sua 68ª edição trazendo boas notícias para o cinema brasileiro. Oito filmes, dois curtas e seis longas-metragens, passaram pela seleção da curadoria e serão exibidos em diferentes mostras do evento. Em 2014, o Brasil já tinha merecido atenção do festival, sendo o país homenageado na seção Carte Blanche, dedicada a filmes em pós-produção. Este ano, o festival ocorre entre 5 e 15 de agosto. 

O longa-metragem Heliópolis, de Sérgio Machado, protagonizado pelo ator Lázaro Ramos, foi programado para a Piazza Grande, espaço que exibe filmes, fora de competição, em uma tela gigante ao ar livre. A produção, que contou com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual no valor de R$ 1,5 milhão, fará sua estreia mundial em Locarno e será o filme de encerramento do festival. 

Outro filme selecionado, este para a seção competitiva Cineastas do Presente, foi o segundo trabalho da cineasta Petra Costa, Olmo e a gaivota. Codirigido pela dinamarquesa Lea Glob, o filme, que mistura documentário e ficção, é uma coprodução Dinamarca-Brasil-Portugal-França. 

Os outros longas selecionados fazem parte do projeto Tela Brilhadora, idealizado pelo diretor Júlio Bressane, que reúne quatro filmes produzidos com baixo orçamento. Bressane, que também foi convidado para presidir o júri da seção Cineastas do Presente, estreia seu filme Garoto. Os outros três longas do projeto também terão premiére no festival suíço: O prefeito, de Bruno Safadi; O espelho, de Rodrigo Lima; e Origem do mundo, de Moa Batsow. 

Entre os curtas-metragens, disputam os prêmios na seção Leopardos do Amanhã os filmes História de uma pena, de Leonardo Mouramateus, e O teto sobre nós, de Bruno Carboni.