Seminário vai promover diálogo entre representantes de museus britânicos e cariocas

Como atrair, desenvolver e engajar os diversos públicos que um museu pode receber? Quais experiências transformam o visitante em um participante ativo de uma instituição cultural? Para debater estas questões, o British Council realiza a primeira edição do seminário "Museus e seus públicos" no dia 26 de junho no Museu de Arte do Rio - MAR. A iniciativa reunirá profissionais britânicos e brasileiros para discutir as melhores práticas, tendências e estudos de caso que possam inspirar novos modelos, ações e oportunidades para museus. Para participação no Seminário, é necessário realizar inscrição prévia pelo site www.transform.org (vagas limitadas a lotação do auditório).

"O tema de atração e diversificação de públicos é um dos mais importantes para os museus brasileiros neste momento em que eles passam por um processo de revitalização, requalificação e abertura de novos espaços. Os parceiros do Programa Transform de Museus sempre nos trazem os temas de maior relevância para os projetos e, sem dúvida, desenvolvimento de público é o mais recorrente e mais urgente. O número de visitantes nos museus brasileiros é ainda muito baixo (uma média de 22 mil pessoas por ano, segundo o IBRAM, 2011), em comparação aos museus internacionais. É preciso abrir o debate sobre iniciativas que funcionam, práticas que colaboram para atrair e fidelizar públicos diversos", defende Lucimara Letelier, diretora-adjunta de Artes do British Council. 

Em pesquisa realizada em 2013 pela JLeiva Consultoria e Datafolha, 34% da população da cidade do Rio de Janeiro afirmam que visitam museus, número que cai para 19% considerando pessoas com apenas nível fundamental. Na Inglaterra, 52% dos entrevistados disseram ter ido a um museu ou galeria em 2014, segundo a pesquisa Taking Part.

O seminário será dividido em dois painéis. O primeiro terá a participação do britânico Iain Watson, diretor do Tyne & Wear Archives & Museums (TWAM), grupo que reúne nove museus e galerias por toda a Inglaterra, além de dois grandes arquivos com o total de 1,3 milhões de visitantes por ano.

Para compartilhar um pouco das iniciativas nacionais, o encontro também contará com a presença de Carlos Gradim, diretor-presidente do Museu de Arte do Rio, que realiza atividades educativas e culturais como o MAR de Música, que atrai cerca de mil pessoas aos pilotis do museu a cada edição; e o programa Vizinhos do MAR, que busca uma aproximação com os moradores dos bairros do entorno. Todas as ações se propõem a estimular a visitação e a fidelizar o público.Tatiana Levy, gerente-executiva e Socioeducativa do Museu Internacional de Arte Naif, irá conversar com o público sobre como a segmentação da programação do MIAN ajudou a atrair mais visitantes para o espaço, com ações específicas para famílias e bebês. 

A segunda conversa será pautada pela experiência dos museus de ciência e será conduzida por Lucimara Letelier, com participação de Jean Franczyk, diretora-adjunta do Science Museum de Londres. A instituição é o principal museu dentre os quatro do Science Museum Group (SMG), que recebe 5 milhões de visitantes por ano. Jean é responsável pelo planejamento  estratégico, programação a longo prazo e desenvolvimento e concretização de iniciativas da instituição. Compartilhando a experiência brasileira, participam do painel Diego Vaz, chefe do Museu da Vida, que já conquistou escolas e pesquisadores, e Luiz Alberto Oliveira, curador do Museu do Amanhã, que está previsto para ser inaugurado em setembro e promete estratégias inovadoras para engajar públicos de diversos perfis. 

 

Serviço:

Seminário "Museus e seus públicos"

Diálogo entre museus britânicos e cariocas sobre suas experiências

Data: 26 de junho de 2015, sexta-feira

Horário: de 9h às 13h

Local: Museu de Arte do Rio (MAR) - Auditório da Escola do Olhar

Endereço: Praça Mauá, nº 5, 5º andar - Centro - Rio de Janeiro, RJ

Telefone: (21) 3031-2741

Capacidade: 100 pessoas

Classificação: livre

Inscrições pelo site www.transform.org.br