Reclamação de Taylor Swift faz Apple mudar política

Cantora reclamou por artistas não receberam pelo Apple Music

A cantora pop Taylor Swift fez com que a Apple mudasse sua política em relação ao seu novo streaming de música, o "Music", após uma carta-aberta da jovem norte-americana. A artista afirmou que não iria disponibilizar o seu mais recente álbum "1989" porque nos três primeiros meses de serviço não seria ressarcida financeiramente. "Isto não é sobre mim. Felizmente estou em meu quinto álbum e posso sustentar a mim mesma, minha banda, equipe e todo o time realizando shows ao vivo. Isto é sobre o novo artista ou banda que acabou de lançar seu primeiro single e não será pago por seu sucesso. É sobre o jovem compositor que acaba de ter sua primeira música como sucesso e pensou que as royalties dele iriam deixá-lo sem dívidas", escreveu a cantora em seu Tumblr.

    Ressaltando que sempre respeitou a empresa e que ela é a melhor forma de mantê-la conectada com seus fãs, Swift disse ter ficado "decepcionada" com a postura da Apple.

    Assim que soube da reclamação da cantora, o vice-presidente da empresa, Eddy Cue, postou em seu Twitter uma inesperada mudança de política. "#AppleMusic pagará os artistas pelo streaming até mesmo durante o período gratuito de testes", postou o executivo.

    A Apple anunciou o novo serviço para ser um rival do Spotify e do Deezer. Nos três primeiros meses, o "Music" será gratuito e, após esse período, será cobrada uma taxa de US$ 9,99 por mês.