Briga judicial mantém apartamento de Wando fechado no Rio

Quase um ano após a morte de Wando, em 8 de fevereiro de 2012, o apartamento do cantor na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, permanece fechado por decisão da Justiça, aguardando a decisão sobre a divisão de bens. O Fantástico, da TV Globo, deste domingo (20) entrou no local, acompanhado da filha Gabrielle Burcci, e mostrou algumas relíquias da coleção do cantor. 

Wando deixou um patrimônio de aproximadamente R$ 10 milhões, que precisa ser dividido entre cinco herdeiros: além de Gabriella, os filhos Wandinho e Maria Sabrina e mais dois netos, de um filho já falecido. Segundo Gabrielle, mais duas pessoas pleiteiam a herança: a viúva Renata Costa Lana e Souza e uma outra namorada, Darlúcia. O cantor ainda teria mais uma filha, que mora na Alemanha, mas aparentemente não quer fazer o exame de DNA para ser reconhecida.

Gabrielle, no entanto, deixa a disputa de lado. “Para mim, esse negócio de inventário, de briga, deixa para Justiça resolver, entendeu? Eu quero dar continuidade ao trabalho do meu pai." Para ela, o trabalho do pai sofria preconceito por parte do público brasileiro, que o considerava um cantor erótico ou brega. "Quem realmente o conheceu se apaixonava. Era um romântico brasileiro sem vergonha”, brinca. 

O cantor possui bastante material inédito a ser descoberto. "Eu tenho dois HDs de dois terabytes só do Wando”, contou o maestro Carlos Kalunga, que trabalhou com o cantor por 30 anos. De acordo com a reportagem, há cerca de 50 músicas inéditas deixadas por ele.