Juan Campanella propõe aproximação entre cinemas brasileiro e argentino 

Dez anos depois de receber dois prêmios no Festival de Cinema de Gramado com o longa-metragem O Filho da Noiva (2001), Juan José Campanella voltou ao tapete vermelho da 40ª edição do evento, mas desta vez para ser homenageado com o Kikito de Cristal. 

Emocionado, o cineasta argentino subiu ao palco, nesta terça-feira (14), com um discurso de aproximação entre os cinemas brasileiro e argentino: "poderia haver uma interação maior entre nossos países", declarou ele.


Além de classificar o festival como "o mais importante da América Latina", o diretor brincou com os holofotes voltados para ele: "nós sabemos que os brasileiros são exagerados", riu, ao exibir o troféu.

Campanella não deixou de destacar o quanto a cultura da Argentina e do Brasil são fortes e particulares, propondo um maior intercâmbio entre as expressões artísticas. Ele, que está produzindo a animaçãoMetegol, finalizou o discurso dizendo que espera estar em Gramado novamente no ano que vem, após o lançamento do filme.