"Amy gostou muito dos shows no Brasil", diz o pai da cantora 

Lançando uma biografia sobre a filha, o pai de Amy Winehouse deu uma entrevista ao Fantástico em que contou detalhes da vida da cantora e da sua passagem pelo Brasil em janeiro de 2011, quando a cantora fez cinco shows. "Ela me telefonou, muito animada e disse: isso aqui é bonito, muito, muito bonito. Amy gostou das pessoas. Gostou de pegar sol. Ninguém a chateou, e ela gostou mesmo dos shows", lembrou Mitch Winehouse.

O ex-taxista disse que era horrível ficar sabendo dos escândalos protagonizados pela filha pelos jornais. "As pessoas não percebiam que ela era uma garota maravilhosa, como ela era amigável e adorável, e como era generosa", afirmou. "Os jornais eram apenas 1% do que Amy era. A música era 50%. O resto era a pessoa dela", completou.

Muitas vezes acusado de estar lucrando com a morte da filha, Mitch fez questão de ressaltar que a renda conseguida com o livro irá para instituições de caridade dos países onde forem vendidos. "Onde o livro for vendido, no Brasil, na França, na Alemanha, na Grã-Bretanha, nos Estados Unidos, ganhamos dinheiro, mas eu não fico com ele. No Brasil, ainda precisamos encontrar uma fundação para crianças, para os sem-teto, para dependentes de drogas, que possamos ajudar", disse.