Computadores de Carolina Dieckmann são levados para análise no RJ 

Um técnico em informática esteve na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Centro do Rio de Janeiro, onde Carolina Dieckmann presta depoimento nesta segunda-feira (7) sobre o vazamento de suas fotos íntimas, que se espalharam pela internet na última sexta-feira.

O profissional deixou a Delegacia com dois notebooks que pertenceriam à atriz. Um deles era um Macbook, da Apple, e seria onde as fotos íntimas estariam armazenadas. O outro computador teria sido usado pela atriz para trocar emails com os supostos crimonosos, que a teriam chantageado e pedido RS$ 10 mil pelas fotos.

Google é notificado; imagens foram parar em site de Londres

As fotos sensuais da atriz foram parar em um site pornográfico hospedado na Inglaterra - o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, já fez formalmente o pedido de retirada das imagens do ar, que não estão mais disponíveis. O próximo passo será entrar com duas ações na Justiça: uma para aplicação de multa diária para os sites que mantiverem as fotografias de Dieckmann, e outra para penalizar criminalmente os responsáveis pelas cópias das fotos íntimas diretamente do notebook da atriz.

Além disso, Kakay já solicitou aos sites de busca, como Google e Yahoo, que seja impedido o acesso às imagens da atriz por meio destas plataformas. Dieckmann vai disponibilizar aos agentes da DRCI seus dois notebooks pessoais para perícia. Num deles estão as 36 fotografias que agitaram as redes sociais no último final de semana. No outro, as conversas por e-mail com o suposto chantagista, que teria pedido R$ 10 mil para não liberar as fotos.

O depoimento e o requerimento de um inquérito formal só puderam ser formalizados nesta segunda-feira por que a delegacia especializada não dá plantão durante o final de semana. Dentre todos estes procedimentos, o mais importante será reconhecer o endereço IP - uma espécie de registro que identifica a máquina que subiu as fotos no site provedor.

O computador pessoal de Carolina Dieckmann passou recentemente por uma pane elétrica e foi levado para a assistência técnica, mas o advogado da atriz preferiu, ao menos por enquanto, não apontar suspeitos e deixar que a própria investigação da DRCI aponte os culpados. Não está descartada a ação de hackers.

O advogado contou que Carolina está muito magoada com a situação, mas não se arrependeu de não ter cedido à chantagem. Para ele, o agravante da situação foi o fato de que José, filho caçula da atriz de 4 anos de idade, aparecia em uma das fotos. "É grave e cruel, mas ela agiu com muita dignidade", afirmou.