Depois de missa, família espalha cinzas de Chico Anysio no Projac  

As cinzas do humorista Chico Anysio serão espalhadas neste sábado (31) pelo Projac, o centro de produções de boa parte dos programas da Rede Globo. Familiares seguem para lá, depois da missa de sétimo dia do artista, que morreu aos 80 anos.

A cerimônia terminou por volta das 12h, na Igreja de São Francisco de Assis, no Rio. O humorista era devoto do santo. A missa não foi aberta para a imprensa e o público.

A viúva de Chico, Malga di Paula, chegou à igreja carregando a urna com as cinzas. Parte delas serão jogadas também em Maranguape, terra natal de Chico, atendendo a um pedido do humorista.

Na saída da cerimônia, Malga falou rapidamente com a imprensa. "Estou mais forte do que imaginava, para minha surpresa. Foi uma cerimônia belíssima, de várias crenças. Quem conduziu foi um frei franciscano, já que o Chico sempre dizia que era um franciscano", afirmou.

Estiveram na igreja, além da família, amigos como Glória Perez, Castrinho, Marília Pera, Milton Gonçalves e Alcione Mazzeo, que foi casada com o humorista.

Malga di Paula confirmou ainda que será criado o Instituto Chico Anysio, voltado para auxiliar pessoas com doenças bronco-respiratórias, um dos males que acometeram o humorista.

Últimos Dias

Chico Anysio foi internado no dia 22 de dezembro de 2011, após uma infecção no aparelho digestivo e, posteriormente, diagnosticado com pneumonia. O humorista passou por uma sessão de hemodiálise na noite de quarta-feira (21) e, na tarde desta quinta, foi realizada uma punção torácica esquerda com drenagem de grande quantidade de sangue. Chico estava recebendo altas doses de medicação para controlar a pressão arterial, além de requerer o uso de ventilação artificial.

Em agosto de 2010, ele foi internado no mesmo hospital para a retirada de uma parte do intestino grosso após apresentar um quadro de hemorragia digestiva. Depois da cirurgia, ele foi diagnosticado com pneumonia. No dia 2 de dezembro, ele foi submetido a uma angioplastia, procedimento que desobstrui as artérias e, desde então, apresentou novos quadros de falta de ar. Em fevereiro deste ano, Chico Anysio apresentou um novo quadro de infecção pulmonar e voltou a fazer uso de antibióticos.