Daniel Craig diz que novo filme pode desagradar fãs de livro 

O novo filme do diretor David Fincher, responsável por sucessos como Clube da Luta e A Rede Social, pode causar polêmica entre os fãs da obra que inspirou o seu roteiro - a trilogia de livros Millennium. Foi o que afirmou o ator Daniel Craig, protagonista de Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, em entrevista exibida pelo Fantástico neste domingo (8).

"Se a pessoa for fanática, aí não tem jeito", respondeu ao ser indagado se a mudança no final da história do primeiro longa da obra não incomodaria seus leitores. "Não podemos fazer nada se isso ocorrer".

A produção norte-americana conta a história de Mikael Blomkvist, proprietário de uma revista de jornalismo investigativo que precisa da ajuda da órfã Lisbeth Salander, interpretada por Rooney Mara, para solucionar um caso. O problema é que a garota é traumatizada pela violência sofrida na infância, que a tornou uma pessoa introspectiva e avessa a qualquer tipo de sentimentalismo.

Apesar de a história ser uma novidade nas telonas para o grande público, o longa já foi adaptado para o cinema em 2009, em uma versão sueca, país natal do autor da trilogia, o renomado escritor Stieg Larsson. "Decidi não assistir ao filme, pois não queria que ele me afetasse de maneira alguma", afirmou Craig ao ser indagado sobre a produção escandinava.

Sentando ao lado do astro de James Bond durante a entrevista, Rooney afirmou que, ao contrário do colega, assistiu à versão, até por desconhecer o fato de ser uma das candidatas de Fincher ao papel. "Mas isso não me influenciou", garantiu. "Isso porque, depois de ler os três livros da série, passei a ter minha própria ideia de como Lisbeth Salander deveria ser".