"Michael Jackson era dependente em Demerol", diz especialista

Dr. Robert Waldman, disse nesta quinta-feira (27) na corte de Los Angeles que Michael Jackson usou grandes quantidades de Demerol durante suas visitas ao dermatologista Dr. Arnold Klein.

O especialista em dependência química é a penúltima testemunha de defesa a depor no julgamento de Dr. Conrad Murray.

Waldman disse que o astro pop era fisicamente dependente no analgésico. Com o depoimento do médico, a defesa de Dr. Murray quer provar que Michael Jackson era viciado em anestésicos e faria de tudo para conseguir mais doses, inclusive se automedicar.

O advogado Ed Chernoff apresentou no julgamento registros médicos de Dr. Klein que mostram que cada vez que o cantor ia ao seu consultório para sessões de botox e outros cuidados de pele, ele recebia uma dose de Demerol.

Em março de 2009, Michael Jackson recebia doses de 200 mg do analgésico por visita. Em maio elas aumentaram para 300 mg. Waldman disse que perto de sua morte, em junho, o cantor poderia estar sofrendo de insônia como sintomas de abstinência da droga.