Ídolos do peso concordam: Metallica levou heavy metal às massas

Principal atração da noite deste 25 de setembro no Rock in Rio, o Metallica é reconhecido mundialmente como o mais poderoso nome do heavy metal. E que os fanáticos por Iron Maidens e Judas Priests entendam, essa não é apenas a opinião dos fãs do quarteto. Nos meses que antecederam o principal festival de 2011 no País, os três grandes representantes do estilo concordaram em um ponto crucial: o Metallica foi a banda responsável por finalmente levar o heavy metal às massas.

O acontecimento se deu desde o surgimento do grupo, com Kill´Em All, mas foi mais especificamente há 20 anos, quando James Hetfield e companhia lançaram o disco Metallica, famoso trabalho cuja capa inteiramente preta lhe deu a alcunha de The Black Album, que a banda mudou de vez a história do estilo - é até hoje o trabalho mais vendido de todos os tempos do meio, com mais de 20 milhões de cópias.

"Esse foi o álbum que quebrou as barreiras e chegou às grandes audiências", comentou o líder do Slayer, Tom Araya. "Atingindo as massas, ele acabou fazendo muito pelo metal". O guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser, concorda: "foi um divisor de águas. Com esse disco, o metal chegou ao nível de encher estádios no mundo inteiro".

De fato, o Metallica moldou uma nova realidade para o heavy metal com esse trabalho, lançado em 1991 com produção de Bob Rock, profissional conhecido por transformar bandas pesadas em hits de rádios. Ambicioso, foi o primeiro disco do estilo a conquistar o certificado de Disco de Diamante - 10 milhões de cópias vendidas nos EUA -, isso sem contar as dezenas de Discos de Platina recebidos ao redor do mundo. O sucesso acabou colaborando para a vendagem não só de seus trabalhos anteriores, como com o de outros grupos de rock pesado.

Se antes o estilo tinha como principais representantes bandas britânicas como Iron Maiden, o sucesso dos norte-americanos com um thrash metal raivoso forneceu uma nova realidade para grupos pesados como Pantera, na época, e, posteriormente, outros, mais industriais, como Slipknot e Sistem of a Down, alcançarem o topo das paradas com canções pouco comerciais. "Eles conseguiram ser agressivos o suficiente em suas ideias para reinventar a forma como o heavy metal soa e conseguiram fazer o maior disco de metal de todos os tempos, que também é um dos melhores álbuns já feitos do estilo", explicou Rob Halford, vocalista do Judas Priest. "O Black Album atravessou uma fronteira necessária para atingir um novo público potencial".

O começo do fim?

Ao mesmo tempo em que o álbum fez a banda se tornar mainstream com um estilo historicamente relegado ao underground, ele foi também marcado por ter sido o primeiro do quarteto a flertar com a música pop. Se na ocasião de seu lançamento o fato foi pouco comentado, com o passar dos anos ficou notória a total descaracterização do Metallica como representante do thrash metal.

Contudo, sem comentar os trabalhos posteriores do grupo - do fraco Load em diante -, os músicos afirmaram que as muitas críticas dos metaleiros em relação ao disco são, na maioria das vezes, infundadas, já que ele é sim um grande álbum.

"É necessário conviver com as críticas. Claro, na música, elas são muito apaixonadas, e você entende isso. Mas, quando se está no estúdio, você escreve do coração e apenas torce para que os fãs consigam se conectar a isso", opinou Halford. "Muitos dos fãs do Metallica querem Ride the Lightning (segundo disco do quarteto) 1, 2 e 3, mas não é isso que músicos gostam de fazer, pois há muito mais possibilidades a ser exploradas".

Araya prefere um tom menos político para comentar as críticas. Para ele, os fãs e, principalmente, os músicos que falam mal do trabalho, devem ser definidos pura e simplesmente como um "bando de invejosos". "Esse é um de nossos (Slayer) objetivos. Nós fizemos muito, ganhamos Discos de Ouro, Grammys, fizemos filmes e canções para filmes e, agora, queremos vender um Disco de Platina. Mesmo que, para nós, algumas músicas não sejam tão pesadas e eles tenham trabalhos melhores, é um álbum muito bom, que fez o Metallica mudar a própria forma como o metal passou a ser encarado".

Citando o quarteto como sua principal influência na música, Kisser tem exatamente a mesma opinião que o frontman do Slayer, divergindo em apenas um ponto: o da qualidade disco. "Para mim, é o maior disco de metal da história. A gravação é fantástica, as músicas são fantásticas. Ele foi responsável por mostrar que o heavy metal é um estilo que, sem tirar o peso e agressividade, pode trazer muita melodia, sentimento, técnica, muito tudo o que a música pode oferecer. As pessoas só têm inveja por aquele lance de pensar, 'pô, por que eu não fiz isso antes?'".