Grande nome do blues internacional lança seu primeiro DVD

Guitarrista consagrado como um dos grandes nomes do blues internacional, Big Gilson chega finalmente ao primeiro DVD, também em CD, após 14 álbuns lançados, quatro deles com a banda Big Allanbik e os demais em carreira solo. Ele apresenta composições próprias e homenagens a grandes nomes do blues e do blues rock, como Roy Buchanan, Big Bill Broonzy, Muddy Waters, Jimi Hendrix, Rory Galaghaer, Snooky Prior e Savoy Brown. 

A gravação aconteceu num pub de Buenos Aires, chamado Mr. Jones, em maio do ano passado. "Eu quis resgatar a intimidade de um show num pequeno pub, bem junto à plateia,tocando com todo o fervor que se consegue ter num contato tão direto," explica Big Gilson. Ele acrescenta um detalhe que considera importante: "Foi um único show e um único take de cada música. É legitimamente ao vivo e tenho orgulho disso". 

Ao seu lado, Big Gilson tem a Blues Dynamite, a baixista Flavia Coury e o baterista Gil Eduardo, além do saxofonista Giuseppe Puopolo em participação especial na faixa Take Me To The River. A performance de Big Gilson é impecável. Mestre da slide guitar, com influências confessas de Johnny Winter e Duane Allman, ele empolga também em solos cheios de feeling, a guitarra em sua mão vai do sussurro ao grito rasgado, tudo com muita alma. Nas imagens é possível perceber pelas suas expressões que ele voa alto nas canções. 

Vamos ao set list: 

Ride The Rocket abre os trabalhos do DVD. Uma canção dele com parcerias que define como uma "influencia do country blues do Muddy Watters do início de carreira." 

Baby Please Don't Go, do mestre Muddy Waters, é definida por ele como "uma versão lisérgica com uma influência da Climax Blues Band."

In The Morning – B.G.: "Esta é quase um cover do grande músico Inglês da nova geração do blues Ian Parker, que adoro e com quem tive o prazer de dividir o palco na Inglaterra alguns anos atrás e se tornou um amigo." 

Tobacco Road – Esta é do compositor americano John D. Loudermilk, de 1960. Foi sucesso em 1964 pelo grupo Nashville Teens. "Uma versão desse clássico, com muito punch, numa mistura de influências que vão de John Lee Hooker a Johnny Winter," explica B.G. 

Messiah Will Come Again – Do grande bluesman inovador americano Roy Buchanan (1939 – 1988). No original tem uma letra falada, mas aqui numa versão instrumental impecável: "Tributo ao meu grande mestre Roy Buchanan. Já gravei essa música em dois outros CDs ao vivo, mas não me canso. É uma das mais aplaudidas em todos os shows." 

Tropical Feeling Blues – Uma autobiográfica de B.G. que confessa seu amor pela música criada pelos negros americanos no século passado. Ele canta em dueto com sua guitarra. "Esta se tornou um clássico meu e não podia ficar de fora. Tento mostrar na letra que também posso fazer blues, mesmo sendo brasileiro." 

Sentenced To Living – Parceria de B.G. com seu amigo Sérgio Vid, ex-vocalista das bandas Sangue da Cidade e Vid e Sangue Azul. Faixa título do último álbum de estúdio de B.G. que ele define como "meu passaporte ao hard rock." 

Take Me To The River – Do reverendo Al Green, um soul vertido para a linguagem blues rock. "Fiz uma versão bem texana desse clássico, com direito a citações de surf music, Peter Gun e com a participação do saxofonista argentino Giuseppe Puopolo." 

I Feel So Good – Do grande mestre inovador do blues Big Bill Broonzy (1898 – 1958): "Bem na onda de Jimmy Reed, com uma introdução a la Aerosmith. É a música que reflete o que sentia naquela noite. Feeling good." 

Chrysalis – Faixa-título do CD lançado por B.G. em 2009: "Uma balada rock que fala do tempo de mudanças que todos esperamos nesse mundo louco."

Tell Mama – Do grupo de blues rock inglês Savoy Brown, autoria do guitarrista e vocalista Kim Simmonds com o tecladista Paul Raymond. "Essa eu queria gravar desde o primeiro álbum do Big Allanbik. É da banda que mais nos influenciou. Eu estava me devendo gravar essa..." 

Hendrix Tribute – Um mix instrumental de canções do mestre Jimi Hendrix, com destaque para Little Wing e Ain’t No Telling. "Uma jam em homenagem ao maior de todos os tempos. Sem muita coisa combinada, fomos simplesmente tocando,  nos olhando e conversando telepaticamente." 

Faixa bônus: 

Changes – Uma leitura muito particular da canção do Black  Sabbath. "Curto muito o Sabbath (com Ozzy) e essa letra sempre me tocou fundo no coração. Com a perda de dois queridos amigos, Wolf Anderson - o cantor Inglês no álbum Chrysalis que me abriu as portas da Inglaterra - e meu inesquecível grande amigo desde antes do Big Allanbik, Alan Ghreen, eu adaptei um pouco a letra à minha história com eles." 

Só no CD: 

Judgement Day – Canção de 1956 do gaitista do Mississippi Snooky Prior (1921 – 2006): "Um shuffle texano bem raiz para começar roots o CD." 

I wonder who - Uma homenagem ao grande mestre irlandês do blues rock Rory Galagher (1948 – 1995): "Minha redenção ao mestre Rory Gallagher."