Leitora do 'JB' ganha viagem para Buenos Aires em concurso dos 120 anos do jornal

Em 27 de abril deste ano, o Jornal do Brasil comemorou 120 anos de existência, em uma solenidade festiva que reuniu cerca de 300 convidados, entre autoridades, artistas, jornalistas e empresários, na sede da Academia Brasileira de Letras, no Centro do Rio. Quatro meses depois, quem está comemorando é a secretária Fernanda Barbosa Peres, 31 anos. Leitora assídua do JB Online, ela ganhou um fim de semana em Buenos Aires depois de vencer o Concurso Cultural - 120 anos JB.

Entre os meses de maio e junho, o Jornal do Brasil prometeu premiar com uma viagem para Buenos Aires quem enviasse a frase mais criativa sobre os seus 120 anos de história. Mais de quatro mil pessoas participaram, mas foi Fernanda quem formulou a frase campeã:

"Vinte e quatro horas de otimismo, sete dias de alegria, 12 meses de emoção. Agora, imagine 120 anos de informação. Tudo isso só no JB", escreveu.

A leitora ganhou uma viagem de avião para Buenos Aires com acompanhante e hospedagem. Ela embarca nesta sexta-feira (26) e se disse surpresa com a vitória. 

"Eu sempre participo desses concursos pela internet, mas a gente nunca imagina que vá ganhar né, ainda mais uma viagem como essas", comemorou. "Eu acompanho diariamente o JB Online, gosto muito e acho mais prático ler as notícias pela internet", disse.

História

Seis anos mais velho que a ABL, ao longo de 12 décadas o JB teve entre seus colaboradores acadêmicos como o Barão do Rio Branco, Manuel Bandeira, Otto Lara Resende, Barbosa Lima Sobrinho, Odilo Costa, filho, Antonio Callado, Carlos Castello Branco, Josué Montelo, Arnaldo Niskier e Sergio Paulo Rouanet.

Vocacionado para a democracia, o JB se posicionou, com destaque, contra a ditadura nos "anos de chumbo”, tendo sido um dos principais focos de resistência ao golpe militar. Vocação que também tiveram diversos acadêmicos, entre os quais Alceu de Amoroso Lima que, como articulista do jornal, moveu sistemática e corajosa, campanha contra o regime que se instalou no país em 1964.

Sempre em dia com a modernidade, o JB  atravessou mais de um século lançando tendências sem deixar de lado a tradição. Reverencia seus ícones de sempre como Mauro Santayana, Villas-Boas Corrêa, Luiz Orlando Carneiro, Wilson Figueiredo e tantos outros, com olhos voltados para o futuro. Nos anos 50, foi a base de lançamento da arte neoconcreta, nos anos 90 o primeiro jornal brasileiro na internet e hoje é pioneiro na transferência de conteúdo integral para as novas plataformas digitais.