Mexicano diz ter filmado na fronteira dos EUA sem autorização

Uma goteira encharca o tapete vermelho do Palácio dos Festivais de Gramado. A poucos metros dali, o diretor mexicano Sabastián Hiriart acende um cigarro. Ele aparenta ter sido afetado pela má sorte do personagem de seu filme e, desde que pisou em solo brasileiro teve problemas com a bagagem e com seu longa-metragem, A Tiro de Piedra, que não chegou e foi exibido em um DVD de baixíssima qualidade.

Os transtornos enfrentados por Sebastián ficaram em segundo plano depois da boa aceitação do filme. A imagem ruim não afetou a história, que narra a saga de um pastor de ovelhas que decide cruzar a fronteira México-EUA após encontrar um chaveiro com endereço de Oregon. O cineasta contou detalhes do processo casual das filmagens e garantiu não ter pedido permissão de autoridades em nenhum momento para rodar o longa-metragem na faixa fronteiriça.

"Não pedi autorização em nenhum momento. Fui indo, indo e cheguei na fronteira", conta o jovem diretor, de 27 anos, que jura só ter sido abordado por um policial mexicano que estudou cinema. O trabalho de encenação foi igualmente casual, com a utilização de pessoas que não são atores e cenas incorporadas ao roteiro durante a viagem. "Há uma cena em que o Jaciento (personagem principal do filme) pega uma carona de moto com um americano. Aquele cara é um americano amigo meu que encontrei por acaso no meio do Arizona", disse.

O personagem Jaciento é um pastor de ovelhas descontente com sua atividade diária. Em meio ao deserto mexicano, ele encontra um chaveiro com um endereço do Estado americano de Oregon e decide ir até lá. Jaciento não é um imigrante comum mexicano que busca trabalho, mas vai atrás também de seu "sonho". Sebástian disse que agora quer fazer um filme complementar, contando a história de como o chaveiro foi parar no México. "Será uma espécie deA Tiro de Piedra 2", contou o diretor.

O filme foi rodado com um orçamento baixo para ter sido realizado em dois países. O diretor entrou com uma verba de US$ 8 mil e conseguiu outros US$ 250 mil com uma lei de incentivo mexicana. Sebastián é de uma família de cineastas e foi ator mirim. A Tiro de Piedra foi exibido em baixa qualidade em Gramado por um problema com o envio da película por parte do distribuidor. Outros dois filmes estrangeiros também não chegaram a tempo e passaram em qualidade baixa no festival.