Gramado: documentário mostra canções eróticas indígenas

As Hiper Mulheres foi o quinto filme exibido da mostra competitiva de longas-metragens brasileiros no Festival de Cinema de Gramado. Trata-se de um documentário sobre o Jamurikumalu, maior ritual feminino do Alto Xingu. No filme, chamam a atenção as canções com apelo sexual cantadas por indígenas de várias idades.

O documentário foi realizado a três mãos: Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro, este último indígena de Alto Xingu. A produção foi realizada com ajuda de índios, que operaram câmeras. O filme é todo falado no dialeto local e legendado em português.

O roteiro não é composto de narrativa em off e se sustenta apenas em diálogos dos índios. Até a metade, o filme é monótono, mostrando em sua maior parte indígenas praticando cantos e tomando banho. A história se torna curiosa quando iniciam as canções e rituais com apelos eróticos - as mulheres atacam os homens "em massa".

Chama a atenção a naturalidade dos locais com a presença das câmeras. Foram captadas mais de 100 horas de gravação na aldeia, editadas em 80 minutos.

La Leccíon de Pintura

O chileno La Leccíon de Pintura, de Pablo Perelman, foi o filme estrangeiro exibido nesta terça-feira (9) em Gramado. O filme conta a história de um menino camponês, filho de uma jovem mãe solteira, que demonstra um grande talento para a pintura. A descoberta é do dono de uma farmácia, onde a mãe do garoto trabalha.

O farmacêutico, um pintor amador apaixonado pelos impressionistas, é o narrador da história de um garoto que poderia ter sido um grande pintor se não tivesse desaparecido durante a ditadura militar. O filme de Pablo Perelman é correto e bem construído. Apesar da qualidade ruim da exibição (de quatro filmes estrangeiros, três foram exibidos em DVDs por problemas no transporte da película), o longa-metragem aparenta ter uma bela fotografia.