Cantor de axé veste camisa LGBT e não descarta ensaio nu

O cantor de axé Renatinho da Bahia vestiu a camisa arco-íris e promete agitar o público LGBT a partir do dia 7 de julho, na boate 1140. "Amo a música, a arte e todos os públicos. Independentemente da orientação sexual, somos todos seres humanos. Eles vão ter em mim uma pessoa que os apoia", garante o artista, que, no entanto, desmente que seja gay.

O moreno, que estourou como vocalista do grupo É o Tchan, conta que já passou por algumas situações bem delicadas. "Só não pode passar a mão na frente, que é documento intocável. Levei muita cantada de homem e já subiram no palco para passar a mão na minha bunda várias vezes. Mas lido muito bem com isso", diverte-se ele.

Renatinho é casado há dois anos com uma carioca e confessa que, hoje, seu coração é dividido entre a Bahia e a Cidade Maravilhosa. "O Rio tem uma magia que conquista, semelhante à de lá", elogia.

Mesmo depois de 18 anos no mundo da música, ele conta que ainda sente aquele friozinho na barriga antes de subir no palco. "Se um dia isso acabar, é porque não sou mais artista", diz o cantor, confiante nessa nova fase da carreira. "Preparei um show bem variado, com músicas da Ivete Sangalo, entre outras", adianta ele, que tem 34 anos e não descarta fazer um ensaio nu. "Depende da oferta", avisa.