Líder do Kiss critica discurso de Obama sobre Israel

O baixista linguarudo do Kiss, Gene Simmons, criticou severamente o discurso do presidente Barack Obama de pedir a Israel que devolva os territórios anexados pelo país antes da Guerra dos Seis Dias, em 1967. O assunto veio à tona durante entrevista concedida à jornalista Jane Wells, da rede de televisão CNBC.

"Eu votei em uma ideia, mas nunca percebi que estava recebendo um idealista. Se você nunca esteve na lua, não pode discutir política sobre a lua, pois você não tem a menor ideia de como é na lua", metaforizou o músico, nascido na cidade de Haifa, em Israel.

"Estar sentado em sua cadeira em Washington e dizer, 'voltem às suas fronteiras de 67', é fácil. Que tal você viver lá e tentar defender uma fronteira indefensável com nove milhas de largura? De um lado você tem centenas de milhares de pessoas que te odeiam, do outro lado você tem o (Mar) Mediterrâneo. A não ser que Israel controle aquelas Colinas do Golan (território sírio anexado pelo país no conflito), é uma posição indefensável".

Simmons ainda voltou a ironizar o líder norte-americano, falando que a ideia dele - apresentada no fim da semana passada e recebida com críticas pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netaniahu, a quem recebeu no dia seguinte - como "legal, quando você cresce e descobre que a vida não é exatamente aquilo que imaginava". "Ele é um bom garoto. Não tem a menor ideia de como é o mundo pois não precisa viver lá", concluiu.