Dzenk apresentará desfile com acessórios feitos por índios

O estilista Victor Dzenk promete muita criatividade em seu desfile que acontece nesta terça-feira, às 21h30, no Copacabana Palace. A coleção é inspirada na Amazônia, focada na fauna e na flora. Para compor esse cenário verde, os acessórios chamam a atenção. Dessa vez, eles são feitos pelos índios Tapajós, com a colaboração da designer Paola Faria, de Minas Gerais, que cuidou do acabamento das peças.

Outro destaque são os acessórios desenvolvidos pela equipe de designers do instituto Bantu, feitos de palha com prata. "São chamadas biojoias", definiu o estilista. O trabalho foi feito com coordenação da nossa 'greengirl', a stylist Chiara Gadaleta.

A mulher que entra na passarela de Dzenk é uma mulher guerreira, que representa a força da natureza. Haverá também uma homenagem a Iara, deusa das águas. Para surpresa de quem conhece trabalho do Victor - que traz muita estampa - a coleção começa lisa e só depois evolui para sua marca registrada, a estamparia.

Serão 30 looks na passarela e, dessa vez, a novidade será a moda praia, marcada por estamparia digital em maios e biquínis, caftan e sobreposições.

A direção do desfile é da Bia Lessa. O cenário também é sustentável, composto por mais de 100 mil latinhas amassadas. A coleção apresenta tecidos naturais como algodão, linho, linho de seda, seda pura e jérsey, que está sempre presente.

A 'press bag' foi feita pela Cooperárvore, projeto de cidadania da montadora de carros Fiat. "As alças das bolsas, por exemplo, são feitas de cinto de segurança de carros".

"Vamos ter, pela primeira vez, a presença de figurantes ao final do desfile. Portanto, aguardem uma surpresa no final, bastante teatral, envolvendo o público", disse Victor. O estilista pretende ensaiar seu desfile entre 0h e 2h, uma vez que, antes disso, serão feiras as provas de roupa com as modelos, entre elas: Viviane Orth, Barbara Berger, Carol Francischin e Renata Kuerten.