Cinédia inaugura curso sobre o polêmico artista Alejandro Jodorowsky

“Magia e Transgressão: o cinema de Alejandro Jodorowsky” ocorre em junho

Há 80 anos, em maio de 1931, era exibido pela primeira vez o mais famoso filme experimental brasileiro, o vanguardista "Limite", de Mário Peixoto. A Cinédia, distribuidora do cultuado longa, inaugura um curso sobre um dos mais polêmicos artistas latino-americanos de vanguarda: Alejandro Jodorowsky. O curso “Magia e Transgressão: o cinema de Alejandro Jodorowsky” será oferecido, de 2 a 30 de junho, e estará a cargo do realizador, crítico e pesquisador Estevão Garcia, maior especialista brasileiro da obra do versátil artista chileno de 82 anos.

A tradição subversiva da arte de vanguarda, o surrealismo e a força da contracultura dos anos 1960 se fundem na obra desse cineasta e artista multimídia, que teve admiradores e parceiros como John Lennon, Moebius, Orson Welles, Marcel Marceau, Fernando Arrabal, entre outros. A originalidade estética da obra do autor de "El Topo", "The Holy Mountain" e "Santa sangre"  está no fato de que seu cinema sempre bebeu de inúmeros referenciais artísticos e extra-artísticos. Portanto, durante as aulas serão estabelecidas pontes entre o seu cinema e as demais áreas transitadas por Jodorowsky, como teatro, happenings, histórias em quadrinhos e literatura.

Frases de Estevão Garcia sobre o cineasta:

"Mais do que converter sonhos ou materiais oriundos do inconsciente em imagens, Jodorowsky deseja fazer com que a experiência cinematográfica seja para o espectador uma experiência iniciática e verdadeiramente reveladora"

" A aventura da criação, para Jodorowsky, não é sentida apenas como uma forma de se expressar, mas também como uma jornada místico-sagrada em busca da transformação e do autoconhecimento"

"Para Jodorowsky, a mais profunda transmutação alquímica, o mantra mais sagrado e o mais potente ritual de iniciação nada mais é do que o cinema".

Dias: 2, 9, 16 e 30 de junho, às quintas, das 18h00 às 22h00

Preço: R$ 360,00 (divididos em duas parcelas). Total de quatro aulas (16 horas)

Local: Cinédia, Rua Santa Cristina, n° 5, Glória. Tel.: (21) 2221-2633

Sobre Alejandro Jodorowsky

Alejandro Jodorowsky, artista multimídia de 82 anos  de origem russa, que teve admiradores e parceiros como John Lennon, Moebius, Orson Welles, Marcel Marceau, Maurice Chevalier, Fernando Arrabal, Omar Sharif e Peter O'Toole, entre outros. Entre seus filmes mais famosos estão ", "Fando y Lis", “El Topo”, "The Holy Mountain" e "Santa sangre". Na década de 70, Jodorowsky filmou o cultuado "El Topo", um faroeste surrealista que John Lennon, fã confesso, ajudou a dar projeção internacional. Jodo, como é conhecido, dedica-se atualmente à literatura e ao teatro. Sua peça "As três velhas" ganhou montagem recente no Brasil, com boa acolhida da crítica.

Página oficial do cineasta https://www.clubcultura.com/clubliteratura/clubescritores/jodorowsky/home.htm

Sobre Estevão Garcia

Estevão Garcia é cineasta, crítico e pesquisador. Graduado em Cinema pela UFF e mestre em Estudos Cinematográficos pela Universidade de Guadalajara, México. Roteirizou e dirigiu os curta-metragens em 35 mm “O latido do cachorro altera o percurso das nuvens" e “Que cavação é essa?”. Realizou os documentários em vídeo digital “Emprego Zero” e “Artesanos”. Foi organizador e programador do Cineclube Sala Escura Sessão Latina da cinemateca do MAM, pesquisador do projeto Tecal (Trocas Econômicas e Simbólicas no Cinema da América Latina), participou da cobertura de mostras nacionais e internacionais e trabalhou como crítico para diversas revistas e sites de cinema no País.

Sobre a Cinédia

Em 15 de março de 1930, o jornalista, produtor e diretor Adhemar Gonzaga fundou o primeiro grande estúdio brasileiro, a Cinédia. Não só introduziu o som e dezenas de outras novidades técnicas, como forjou o musicarnavalesco, base do cinema popular brasileiro. Em 80 anos produziu mais de 50 longas-metragens e 700 filmes curtos, entre documentários, cinejornais e institucionais. Entre seus clássicos maiores estão obras fundamentais da filmografia brasileira como “Ganga bruta”, “Alô, alô, carnaval!”, “Bonequinha de seda”, “24 horas de sonho”, “Berlim na batucada” e o campeão de bilheteria por décadas “O Ébrio”. Trajetória tão afirmativa ganhou dimensões ainda mais amplas, quando Alice Gonzaga, filha do fundador, assumiu em 1971 e incorporou a restauração dos filmes e a publicação de memórias históricas sobre a companhia e o cinema brasileiro. Atualmente a Cinédia, amplia sua área de atuação e passa a funcionar como um centro de pensamento e difusão cultural.

Facebook:

httpss://www.facebook.com/profile.php?id=100001237915069

Ementa do curso

Dia 2 de junho, aula 1:

Introdução ao Jodorowsky pré-cineasta (1953-1966) e a sua estreia no cinema com a realização de "Fando y Liz"

A carreira de mímico com Marcel Marceau em Paris

A realização do curta "A Gravata" – a experiência seria apenas uma pantomima filmada?

A mudança para o México e o contato com uma rica tradição surrealista

A carreira teatral no México (peças e happenings)

A fundação do Movimento Pânico com Fernando Arrabal e Roland Topor, em 1962

Os princípios do Teatro Pânico

Projeção do curta "A Gravata" (França, 1957) e de "Fando y Liz" (México, 1967)

A realização de "Fando y Liz": diálogos entre Teatro de Vanguarda, happening e Cinema Moderno

Dia 9 de junho, aula 2:

"El Topo" e a contracultura dos anos 1960

O contexto contracultural

A estreia de "El Topo", no Elgin Theatre de Nova York

Os midnight movies – O que seria esse fenômeno de exibição e qual foi a importância de "El Topo" para o seu aparecimento?

Projeção de "El Topo" (México, 1969)

A estrutura narrativa de "El Topo" e sua visita ao Western Spaghetti

Dia 16 de junho, aula 3:

Por um cinema ritualístico e sagrado

Alejandro Jodorowsky e Antonin Artaud

cinema como um rito de passagem

Projeção de "A Montanha Sagrada" (México, EUA, 1972)

Intertextos filosóficos e místicos

A mise-en-scène ritualística

A relação filme-espectador

Dia 30 de junho, aula 4:

A volta de Jodorowsky ao cinema

A projeção de Alejandro Jodorowsky como quadrinista e terapeuta

A psicomagia

Projeção de "Santa Sangre" (México, Itália, 1989)

Flerte com o cinema de Terror e com o melodrama

Um novo Jodorowsky, apesar da avançada idade