Virada Cultural deve reunir mais de 4 milhões de pessoas em SP

SÃO PAULO - – A sétima edição da Virada Cultural será a de maior público, afirmam os organizadores do evento, que estimam a participação de mais de 4 milhões de pessoas nos diversos eventos previstos para a maior festa de rua paulistana, que começou ontem à noite e termina no fim da tarde deste domingo.

A expectativa de público foi divulgada hoje (17), junto com um balanço parcial do evento. Representantes da Prefeitura de São Paulo que trabalham na organização da festa disseram os shows e as apresentações já encerrados tiveram muito mais público do que os das edições anteriores. Por isso, ao final da Virada, um novo recorde deve ser alcançado.

“No ano passado, a PM [Polícia Militar] estimou 4 milhões de pessoas”, afirmou o subprefeito da Sé, Nevoral Bucheroni, responsável pela administração da região central de São Paulo, onde se realiza a Virada. “Neste ano, devemos ter mais pessoas. Os shows estão mais cheios.”

O secretário de Cultura do município, Carlos Augusto Calil, disse que a Virada, até agora, é um sucesso. Segundo ele, mais pessoas participam da festa e menos problemas foram registrados. “Eu vi, durante a madrugada e de manhã, todo tipo de público, inclusive o que a gente mais quer, que são os pais, as mães, as famílias”, afirmou Calil.

O presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), Caio de Carvalho, também fez uma avaliação positiva do evento, principalmente no que diz respeito à organização. Ele elogiou o sistema de coleta de lixo montado para a Virada, afirmando que funcionou bem e que já foram recolhidas cerca de 140 toneladas de resíduos.

Carvalho disse também que a fiscalização da venda ilegal de bebidas alcóolicas foi bem feita. Até o final da manhã, cerca de 28 toneladas de produtos vendidos ilegalmente haviam sido apreendidos. Desse total, 80% eram os chamados vinhos químicos, que, segundo os fiscais, são uma mistura de álcool com um corante e aromatizante de groselha.

O secretário aponta, porém, coisas que precisam ser aperfeiçoadas. Para ele, é necessário distribuir mais mapas e programas da festa e melhorar os mil banheiros instalados nas ruas para a Virada. "Estamos trabalhando em um tipo de banheiro novo", acrescentou Carvalho.

O subprefeito Bucheroni destacou como pontos negativos da festa uma briga de gangues ocorrida por volta das 2h da madrugada de hoje e a morte de uma pessoa, que caiu do Viaduto Santa Ifigênia, às 3h. Ele disse que os casos estão sendo investigados pela polícia. Bucheroni ressaltou, no entanto, que as ocorrências foram poucas, se comparadas às dimensões da festa.