"Espírito do Carnaval" inspira líder do bloco Quanta Ladeira

Está tudo pronto para a apresentação do Quanta Ladeira, um dos mais anárquicos blocos de Carnaval do Recife. E para manter a tradição e o código de ética que norteia, há 14 anos, esses foliões liderados por Lula Queiroga e Lenine, "está tudo pronto" significa que apenas o dia da apresentação foi agendada: será no domingo de Carnaval, no polo do Cais da Alfândega, tendo o estuário do Rio Capibaribe como testemunha.

A grande atração do Quanta Ladeira são as paródias. Músicas conhecidas que têm a letra trocada por alguma crítica, sátira, crônica. No entanto, mesmo as letras não são divulgadas. "Nós ainda não fizemos nada", conta o principal porta-voz do bloco, o cantor e compositor Lula Queiroga. "Na verdade, somente 15 dias antes, quando o espírito do Carnaval vai ganhando corpo, nos reunimos para tomar cerveja e, como desculpa, traçamos as músicas que o Quanta Ladeira vai cantar esse ano".

O Quanta Ladeira é um bloco diferente. Ele não desfila no Carnaval, realiza uma única apresentação e desconhece quem serão os convidados, até eles subirem no palco ("Ou não", brinca Lula Queiroga). É contrário aos patrocínios, reclama das leis de incentivo à cultura e como fonte de arrecadação de recursos para orquestra, às vezes, realiza prévia. Este ano, nem isso.

A maior expectativa gerada pelo Quanta Ladeira está em quem vai ser o convidado da vez. Nem isso Lula Queiroga adianta. "Até porque eu não sei", justifica. Em outros carnavais, Caetano Veloso, Arnaldo Antunes, Zélia Duncan, Vanessa da Mata, Paulo Moska, Roberta Sá, Silvério Pessoa e Pedro Luiz (do Pedro Luiz e a Parede) já subiram ao palco apenas para se divertir. "Não existe cachê, não existe produção, é tudo no improviso", garante Lula.

O núcleo-duro do Quanta Ladeira é formado por Lula e Nena Queiroga, Zé da Flauta, Aluísio Maluf, Lucky Luciano, Wilson Farias e Márcio Almeida. Lenine também faz parte do grupo, mas sua participação prévia se dá nos e-mails que troca com os amigos fazendo alguma brincadeira com um fato qualquer. "Em 2010, teve música para Geisy Arruda, Dilma, Serra, não poupamos ninguém", promete Lula Queiroga.