Com gravação especial para o desfile, Walter Rodrigues emociona

 Rio - Primeiro desfile do Fashion Rio a acontecer fora do Píer Mauá, Walter Rodrigues optou pelo Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro (ISERJ), no bairro da Tijuca, como locação de sua apresentação outono-inverno 2011.

Às 11h33 de quinta-feira (13) a primeira modelo, toda vestida de preto e chapéu de feltro, estilo aqueles usados pelos Derviches (membros de uma confradia religiosa muçulmana), surge no extenso corredor tomado pelo fila A (da entrada até a saída as modelos teriam de percorrer dois minutos).

Caixas de som espalhadas pela "passarela" ecoavam uma gravação especialmente feita para Walter de "Rosa de Hiroshima", com a letra cantada por um coral de crianças. Emoção total que somou forças ao ISERJ, "Pensem nas crianças Mudas telepáticas". Tempo de pensar na precariedade educacional do Brasil (no release distribuído havia uma página dedicada à história do ISERJ), mas esta é uma leitura que ultrapassa a coleção.

De volta à moda. A inspiração do estilista foram os símbolos, a iconoclastia, a representação seja do corpo seja do tempo. Para isso optou pelo preto e off-white, nas palavras de Walter, "a única cor que me interessa fora o preto é o off-white", e podem apostar que ele passou bem longe de parecer careta ou conservador. Os zíperes, fechos, calças impecáveis, o artesanato e a escolha dos materiais passaram o recado de que moda se faz com inteligência e comedimento.

Retorno à simplicidade, às raízes? Depuração do olhar e dos conceitos do entendimento sobre o que é a moda atualmente? Para Walter Rodrigues a resposta é sim ou em uma atitude tal qual a de Arthur Omar (outra referência para a coleção), transcender os temas recorrentes (na moda para o primeiro, a geopolítica para o segundo). Daí, tudo faz sentindo.