Fãs seguem na expectativa do novo álbum de Michael Jackson

Nesta semana os fãs de Michael Jackson poderão ter finalmente em suas mãos o primeiro álbum do ícone pop desde sua morte, razão pela qual as expectativas de vendas são grandes mesmo com reações mornas da crítica e dúvidas sobre sua autenticidade.

"Michael", o título do disco, será lançado no mercado americano nesta terça-feira com dez faixas do Rei do Pop. O CD é feito de músicas que foram mixadas em diferentes etapas de sua criação antes dele morrer, no dia 25 de junho de 2009 aos 50 anos, vítima de parada respiratória em sua mansão de Bervely Hills.

O álbum inclui músicas com contribuições do rapper 50 Cents, assim como dos cantores Lenny Kravitz e Akon.

Desde novembro, duas músicas começaram a ser vendidas on-line, a primeira - "Breaking News" - é um protesto contra o modo com que a mídia tratou os escândalos da vida do cantor, despertando um debate sobre se tratava-se da verdadeira voz de Jackson.

O selo Sony - que tem entre seus planos o lançamento de uma série de novos álbuns do cantor -, viu-se forçado a defender o cd depois que fãs e inclusive alguns membros da família de Jackson questionaram a autenticidade da gravação.

"Temos plena confiança nos resultados de nossa extensa investigação, assim como em quem estava no estúdio com Michael, de que as vozes no álbum são suas", disse a companhia em um comunicado citado por James Bates, porta-voz do Fundo Patrimonial de Jackson.

LaToya, irmã do Rei do Pop, disse irritada que essa gravação "não soava como ele". Mas, de forma mais geral e purista, os fãs do cantor questionaram os trabalhos de pós-produção de algumas das músicas que Michael Jackson havia gravado há vários anos.

Pelo menos uma canção, "Much Too Soon", foi escrita na época que Jackson se imortalizou com seu álbum "Thriller", em 1982, e outras músicas datam de 2001, quando o artista gravou seu último álbum com canções inéditas, "Invincible".

"Ainda que Michael não estivesse para completar as gravações como somente ele poderia fazer, deixou com ele um guia que indicava sua visão criativa em formas de notas e conversas detalhadas", explicaram os músicos colaboradores em uma introdução do disco de 10 páginas entregue aà mídia, onde dedicam duas páginas a justificar a autenticidade do álbum.