Caixa da 6ª temporada de Lost traz filme extra: saiba o que acontece

Carol Almeida, Portal Terra

S O PAULO - Despedidas nunca são fáceis. Mas se despedir de uma série de TV, como os fãs desse gênero da teledramaturgia bem sabem, é particularmente penoso para aqueles que, de uma forma estranha, acreditam numa verdade inventada e se apegam a personagens como se eles fossem amigos que nunca tiveram. Com Lost, série da ABC/Disney que durou seis temporadas de mistérios e embates épicos entre fé x ciência e nós x outros, a sensação de despedida deixou muitos com uma reação bipolar de amor e ódio. Amor por tudo que foi compartilhado pela "comunidade" Lost durante seis anos, e ódio porque talvez aquele não tenha sido o tão glorioso final que vários esperavam. E toda essa experiência dos fãs, positiva ou negativa, poderá ser revivida a partir do dia 14 de outubro, quando chega às lojas brasileiras a caixa de DVDs com a sexta temporada da série.

O Terra assistiu ao documentário que serve de bônus aos episódios. O nome do filme não poderia ser mais sugestivo ao já citado sentimento de saber se despedir: Letting Go, em bom português significa "deixar ir". Nas cenas do filme, vários dos atores principais da série dão seus depoimentos sobre a convivência durante as gravações, o impacto não esperado que a série teve entre o público e, particularmente, a ideia de ter que dizer adeus aquilo que, para todos do elenco e da produção, foi um produto divisor de águas.

À parte toda uma propaganda turística do Havaí (há um determinado momento do documentário em que você desconfia estar diante de uma propaganda oficial do arquipélago), o vídeo traz cenas de bastidores bastante emotivas, particularmente do primeiro e do último episódio da série. Do primeiro pela presença no set constante e determinante do grande "criador", J.J. Abrams, e a última pela carga dramática dela, a despedida.

Essas cenas são cortadas por imagens como a de Daniel Dae Kim (Jin) da trama, sobrevoando o Havaí de helicóptero e mostrando todas as locações usadas, Evangeline Lilly (Kate), caminhando na praia e falando frases como "o Oceano cura" e Michael Emerson (Ben) e Jorge Garcia (Hurley) batendo um papo descontraído e nostálgico naquele mesmo cenário em que, na primeira temporada, Hurley, Jack (Matthew Fox), Michael (Harold Perrineau) e Charlie (Dominic Monaghan) jogam golf para "desestressar" da ilha.

Entre os fatos mais curiosos do filme está o senso de humor afinado da atriz Maggie Grace, que interpretou a mimada Shannon nas duas primeiras temporadas (a moça parece ter um talento especial para a comédia), o discreto choro de Emilie de Ravin (Claire), ao falar sobre o fim da série e as tiradas sempre engraçadas de Jorge Garcia, ator que guarda mais semelhanças com seu personagem do que podemos imaginar (ele compara a loteria que Hurley ganhou ao fato de ele ter sido escolhido para participar dessa produção).

Incrível também ver as primeiras e entusiásticas reações faciais de J.J. Abrams ao filmar o episódio piloto e perceber a tristeza contida dos produtores Carlton Cuse e Damon Lindelof nas gravações da última e derradeira cena da série, aquela em que Jack se deita e, ao seu lado, vem Vincent, o labrador que se tornou cão de estimação favorito daqueles que, entre amor e ódio, tiveram que deixar a série ir embora.