Após detonar o Brasil, Stallone sai de evento com prêmio

Portal Terra

SAN DIEGO, ESTADOS UNIDOS - Depois de detonar o Brasil em declaração que motivou internautas brasileiros a começarem um movimento contra o ator, Sylvester Stallone deixou a feira de cultura pop Comic-Con, em San Diego, com um prêmio dado por ninguém menos do que os organizadores do famoso The Guiness Book, o Livro dos Recordes.

O troféu - uma espécie de quadro de consideração - nomeia a saga de Rocky, criada por Stallone, como a mais bem-sucedida franquia de esportes do mundo.

Agradecido e surpreso, Stallone disse que estragou tudo ao fazer Rocky V, de 1990, para ele o pior filme da série. "Fiz por ambição", admite. Já Rocky Balboa, o fiasco da crítica de 2006, o deixou contente com os resultados.

Vale ressaltar que Stallone ainda quer fazer um sétimo filme da série, se o público assim o deixar. Em agosto, o ator - mais musculoso do que nunca - lança Os Mercenários, que teve cenas rodadas no Rio de Janeiro e participação da brasileira Gisele Itié.

Piadas de mau gosto

Instigado pelo moderador do evento, Harry Knowles, dono do famoso site Ain't It Cool News, Stallone fez piada com o Brasil e, finalmente, demonstrou seu verdadeiro descontentamento com as filmagens no Rio de Janeiro.

"Gravar no Brasil foi bom, pois pudemos matar pessoas, explodir tudo e eles (os brasileiros) dizem obrigado", diz Sylvester Stallone.

Depois de sugerir problemas com a equipe de filmagem (cerca de 65 pessoas), em entrevista na semana passada, e inclusive mencionar o assunto no material oficial de divulgação do filme, o diretor e ator transformou a violência local em piada ao mencionar que foi necessário um grupo de 70 seguranças para garantir o bem estar de sua equipe.

Além disso, comentou o símbolo do B.O.P.E "os policiais de lá usam camisetas com uma caveira, duas armas e uma adaga cravada no centro; já imaginou se os policiais de Los Angeles usassem isso? Já mostra o quão problemático é aquele lugar".

A lavagem de roupa suja terminou com uma menção ao fato de "podermos ter explodido vários prédios, todos ficaram felizes e ainda trouxeram cachorros-quentes para aproveitar o fogo".