Fortuna de Michael Jackson é maior depois da morte

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - Venerado em vida e com grande fortuna do outro lado da vida, há um ano morreu Michael Jackson, 50, depois de uma suposta overdose medicamentosa. Mas a venda de produtos do astro, em crise financeira, alavancou, segundo a revista Billboard, sendo seu espólio calculado em mais de US$ 1 bilhão. A quantia é suficiente para cobrir a dívida de US$ 500 milhões que o Rei do Pop deixou.

O drama financeiro, provocado por anos fora dos palcos e de extravagâncias, seria em parte coberto pela renda da turnê This is It, programada para começar em julho passado na O² Arena, em Londres. Michael também corria o risco de perder o rancho Neverland e o contrato com a Sony/ATV, que possui músicas de outros lendários artistas, como os Beatles.

Mesmo sem a turnê, os herdeiros receberam cerca de US$ 6,5 milhões em ingressos não retornados pelos fãs. O documentário homônimo alcançou a renda de US$ 400 milhões, o valor mais alto do gênero já registrado na história do cinema.

O espólio, que detém metade da editora musical, rendeu aos cofres de Michael US$ 80 milhões em 2009. A Mijac, que gerencia os direitos autorais, lucrou o equivalente a US$ 150 milhões. O contrato de US$ 250 milhões para lançamento de dez discos pela Sony Music já gerou US$ 31 milhões.

Da comoção pela morte de Michael surgiu um boom de venda de álbuns. Neste um ano, os quase 13 milhões de downloads, 1,5 milhão de ringtones, além das vendas de discos, geraram US$ 383 milhões.

Memórias

A mãe do cantor, Katherine Jackson, 80, lançou o livro Never can say goodbye (Nunca vou dizer adeus), com 150 fotos inéditas da família.

Meu filho foi mal interpretado, e esse foi meu jeito de compartilhar quem realmente ele era disse, referindo-se aos processos de pedofilia em que Michael foi réu.

Em menos de 48 horas, mais de 25 mil cópias foram vendidas online.

Cidade natal pode ser nova Graceland

Diversos eventos estão programados para lembrar um ano de morte do Rei do Pop. Pequenos tributos vão ser realizados em várias partes dos Estados Unidos.

A cantora Christina Aguilera vai se juntar ao marido de Jennifer Lopees, Marc Anthony, e outros artistas para uma homenagem na rede de tevê CBS. No sábado, a Fundação da família Jackson e um site de música vão realizar o evento Para sempre Michael no hotel Beverly Hills, e a renda será distribuída a instituições de caridade.

Monumento

Em Gary, cidade natal de Michael Jackson, autoridades locais esperam atrair multidões para um dia inteiro de eventos, incluindo a inauguração de um monumento em homenagem ao cantor e uma vigília com velas.

Nós queremos que todos os cidadãos e fãs tenham um lugar para relembrar o ídolo adiantou a secretária de imprensa, LaLosa D. Burns. A mãe de Michael, Katherine, estará presente.

Espera-se que Gary vire a nova Graceland, mansão do ídolo Elvis Presley.

A editora chefe da filial americana da revista Billboard, Gail Mitchell, acredita que, pela extensa cobertura após a morte de Michael, ainda seja muito cedo para realizar uma grande celebração.

Ainda não há clima para isso avalia.

Os fãs não poderão aproximar-se do túmulo de Michael. O cemitério Forest Lawn, em Los Angeles, vai permitir apenas que as pessoas se reúnam à distância. Mas isso não vai impedir os fãs de prestarem suas homenagens.

Fãs em todo o mundo prometeram acender velas, levar flores e cantar as músicas do ídolo.