O legado de Dennis Hopper, um artista de múltiplas facetas

Da redação, JB Online

RIO DE JANEIRO - Desde o início do ano, quando foi revelado que o ator e diretor americano Dennis Hopper sofria de um câncer da próstata em estágio terminal o mundo do cinema entrou em apreensão. A morte de Hopper, ocorrida neste 29 de maio aos 74 anos, marca a perda de um dos responsáveis por mudanças significativas no modo de se fazer cinema nos Estados Unidos a partir dos anos 70. Ator, cineasta, fotógrafo, colecionador de arte, e pintor nas horas vagas, Hopper viveu intensamente, dentro e fora das telas, muitas vezes sendo ele próprio confundido com os vilões e malucos que interpretou ao longo de décadas dedicadas ao cinema.

Vestiu a pele de um psicopata em Veludo Azul, um terrorista em Velocidade Máxima e de um motoqueiro libertário em Easy Rider, ou Sem destino, filme que o consagrou como diretor e ator, além de ter desempenhado papel fundamental na história do novo cinema americano, mais jovem e independente do controle dos estúdios, em uma declaração de autonomia criativa.

Sem Destino, ou o filme sobre motociclistas da era da contracultura, foi produzido com um orçamento de US$ 400 mil e faturou US$ 20 milhões na época do lançamento. Os números provaram que a cultura alternativa era capaz de atrair os consumidores, especialmente os jovens, que se identificavam com os ideais proferidos pelos protagonistas do longa, Wyatt (Peter Fonda) e Billy (Hopper).

Definido pelo crítico de cinema Peter Biskind como "o chapado guru da contracultura", Hopper continuou a ser o personagem principal na lenda de Sem Destino, tanto porque dirigiu, editou e protagonizou o longa quanto devido ao seu temperamento, aos seus abusos com as drogas, à sua arrogância lendária e à completa desorientação que ele exibiu ao longo dos anos.

Hopper foi casado com a atriz Brooke Hayward com quem tem uma filha chamada Marin Hopper, nascida em 1962. Foi depois casado com a atriz Michelle Phillips, um casamento que teve a duração de dias. Em 1972, se casou pela terceira vez, desta vez com a atriz Daria Halprin, com quem romperia quatro anos depois. A união gerou uma filha, Ruthana Hopper. Em seguida, Dennis casou com a atriz Katherine LaNasa com quem teve um filho chamado Henri Hopper, nascido em 1990. Desde 1996 Dennis foi casado com a atriz Victoria Duffy com quem tem uma filha, Galen Grier Hopper, nascida em 2003.