Craques contam bastidores das Copas em 'Extracampo'

Paulo Ricardo Moreira , Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Ricardo Rocha, zagueiro da Seleção Brasileira nas Copas de 90 e 94, tinha uma estratégia quase infalível para intimidar os jogadores argentinos. O Xerife , como ele era chamado, chegava pertinho dos hermanos e ameaçava em portunhol: Eu vou te quebrar! . Quase sempre, Rocha ouvia a resposta: Brasileiro de merda! .

Histórias como essa são contadas pelo próprio zagueiro ao jornalista Geneton Moraes Neto no primeiro episódio de ExtraCampo, série que estreia no dia 7 de junho, na Globo News. Ao todo, são cinco entrevistas com personalidades do futebol brasileiro: Zico, Carlos Alberto Torres, Leão e Roberto Carlos completam o time de convidados. Nos encontros, todos gravados em externas, eles relembram casos divertidos, dramas e decepções fora dos campos de futebol.

Futebol em época de Copa

Geneton diz que a ideia é fazer um programa que desperte o interesse do público que só acompanha futebol em época de Copa do Mundo. Por isso, o foco é nos bastidores da Seleção Brasileira.

Não vamos discutir tática nem escalação do time afirma. Eles contam histórias de bastidores, fatos que aconteceram nos vestiários, fora dos campos. É o jogo que o torcedor não vê. E tem o lado humano de cada um.

Na entrevista gravada no Centro de Futebol Zico, no Recreio, Zona Oeste do Rio, Zico falou do trauma da derrota para a Itália no Mundial da Espanha. O ex-jogador, que também disputou as Copas de 78 e 86, lembrou o encontro, tempos depois, com o atacante italiano Paolo Rossi, o carrasco do Brasil em 82.

Paulo Rossi disse ao Zico que os italianos já tinham deixado as malas prontas para voltarem para casa. Eles não esperavam vencer o Brasil conta o jornalista.

Geneton frisa que os cinco entrevistados ainda guardam mágoas e decepções:

Carlos Alberto (capitão do tricampeonato em 1970) ainda quer saber por que foi cortado da Copa de 1966. Zico tem uma leve melancolia por não ter sido campeão do mundo. E Roberto Carlos se queixa por ter sido injustamente crucificado na derrota da Seleção para a França em 2006.

Em seu depoimento, na concentração do Corinthians, Roberto Carlos se defendeu, dizendo que não cabia a ele marcar o francês Henry, autor do gol que eliminou o Brasil na Copa da Alemanha. O lateral lembrou ainda o problema de saúde de Ronaldo na final do Mundial de 1998.

Ele contou: Nós entramos derrotados . Isso abalou os nervos do time.

Apesar de não ser especializado em esporte, o pernambucano Geneton Moraes Neto conta que o futebol é uma paixão de criança. Tanto que decorou a escalação de alguns times dos anos 60, como a do Corinthians de 1968.

Isso nunca serviu para nada brinca o jornalista, que já visitou o tema futebol ao lançar em 2000 o livro Dossiê 50, em que entrevistou os jogadores da Seleção de 1950.

Com episódios de 25 minutos de duração, a série ExtraCampo vai ser exibida de 7 a 11 de junho, às 19h30, na Globo News.