Política com um toque de humor

Paulo Ricardo Moreira , Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Política, romance, humor e uma pitada de suspense. A fórmula não chega a ser novidade, mas ainda é capaz de atrair a atenção do público e dar bons resultados na teledramaturgia. E é exatamente nisso que Marcílio Moraes, autor de Ribeirão do Tempo, está apostando. Estrelada por Bianca Rinaldi, Caio Junqueira, ngelo Paes Leme e Juliana Baroni, a novela estreia nesta segunda-feira, às 22h, na Record. Em ano de eleição, o novelista promete ousar no tema política, mas garante que vai tratar o assunto com bom humor.

Quero fugir um pouco dos chavões das novelas diz Moraes, que foi responsável pelos sucessos de Vidas opostas e da série A lei e o crime.

Ameaça à natureza

Ambientada na fictícia Ribeirão do Tempo, a história se desenrola a partir da chegada à cidade de Arminda (Bianca Rinaldi) e Madame Durrel (Jacqueline Laurence), respectivamente, a diretora e a presidente de uma grande empresa imobiliária. O objetivo delas é construir um resort no local. A polêmica construção, porém, vai se tornar uma ameaça ao centro histórico e às reservas naturais da cidade, conhecida por seu turismo ecológico, que atrai os praticantes de esportes radicais.

É um grande empreendimento capitalista que criará um novo universo de consumo, um conflito. Pode acontecer muita coisa comenta o autor.

Além da tensão entre a empresa e os moradores da região, outro fato vai movimentar a trama: uma série de assassinatos. A primeira vítima é Dirce (Françoise Fourton), mulher do doutor Flores (Antônio Grassi), encontrada morta em sua casa nos primeiros capítulos. A cena do enterro está prevista para ir ao ar nesta sexta-feira.

Apesar dos misteriosos crimes, Marcílio Moraes garante que a trama não é policial e que não apostará na conhecida fórmula do 'quem matou?'. Antes do fim da novela, o autor pretende revelar a identidade do assassino. Herói do folhetim, Joca (Caio Junqueira), um jovem desempregado que fez um curso de detetive por correspondência, vai investigar as mortes e descobrir que elas estão ligadas a uma conspiração política.

Durante a investigação, Joca vai se aproximar de Arminda. Segundo o autor, os dois vão viver um estranho e intenso caso de amor, com direito a cenas picantes. A trama tem ainda um apimentado triângulo amoroso, formado por Tito (ngelo Paes Leme), dono de uma empresa que oferece turismo ecológico, sua noiva Karina (Juliana Baroni) e Filomena (Liliana Castro).

O elenco traz ainda nomes como Ana Paula Tabalipa, Victor Fasano, Heitor Martinez, Taumaturgo Ferreira, Patricya Travassos e Giuseppe Oristânio. O autor garante que todos os personagens terão espaço na trama:

Até os papéis menores vão se destacar e ganhar bom espaço. Isso movimenta a história.

Na Ilha de Guaratiba, Zona Oeste do Rio, a cidade cenográfica de Ribeirão do Tempo ocupa uma área construída de 5 mil metros quadrados. No local, foram erguidos prédios que reproduzem a atmosfera de uma cidadezinha do interior. A maioria dos cenários é decorada e mobiliada na parte de dentro, como a sede do jornal Folha da Corredeira, a agência dos Correios e os bares.

Os cenários foram montados a favor da luz conta o diretor Edgard Miranda. A cidade fictícia foi inspirada em Ouro Preto, em Minas Gerais.

Ribeirão do Tempo entra no ar no antigo horário de Bela, a feia, que passará a ser exibida logo após a nova trama e terminará no início de junho.