Bollywood de olho no mercado cinematográfico latino

Agência AFP

MUMBAI - Um novo filme produzido pela gigantesca indústria cinematográfica indiana e protagonizada por uma atriz de origem uruguaia aumenta as expectativas na Índia de que o cinema de Bollywood vai conseguir finalmente entrar no mercado latino-americano.

Com a jovem Bárbara Mori compartilhando o elenco com o galã indiano Hrithik Roshan, "Kites" é um filme romântico sobre um fugitivo dado por morto no deserto mexicano, onde encontra o amor de sua vida e resolve atravessar os Estados Unidos.

O pai de Roshan, Rakesh, produtor do filme, explica que adoraria lançar "Kites" na maior quantidade de países latinos possível.

"Com a globalização, o mundo está cada vez menor e por isso filmes da Coreia do Sul e de outros países asiáticos podem ter um impacto em Hollywood e outros mercados", afirmou.

"Mas infelizmente os filmes indianos ainda não puderam entrar nesses mercados. Quero mostrar ao mundo que as produções indianas também podem causar impacto", acrescentou.

O sucesso este ano no exterior de "Meu nome é Khan", de Shah Rukh Khan, entusiasmou os produtores indianos a tentar entrar em outros mercados com produtos similares.

O filme arrecadou 39 milhões de dólares um mês depois de ser lançado em fevereiro, dos quais US$ 17 milhões fora da Índia.

A distribuidora Fox Star Studios classificou o filme como "o primeiro filme verdadeiramente global de Bollywood".

Isso aconteceu logo depois que "Quem quer ser um milionário?", produção indiana-britânica vencedora do Oscar em 2009, despertou o interesse mundial pela indústria cinematográfica indiana.

O mercado estrangeiro representa 7% da renda global de Bollywood, de um total de 89,3 bilhões de rúpias (1,9 bilhão de dólares).

Estados Unidos, Canadá, Grã-Bretanha e Europa somam os dois terços dos lucros proveniente do exterior, segundo uma recente pesquisa da KPMG sobre a indústria de entretenimento na Índia.

As Américas do Sul e Central não figuram neste relatório.

O diretor de "Kites", Anurag Basu, disse aos jornalistas que o cinema indiano - que causa um verdadeiro fanatismo na Índia - deveria ter uma melhor recepção no exterior.

"Fico triste que o mundo só conheça a Mira Nair (estabelecida nos Estados Unidos, diretora de "Salaam Bombay!" ou de "Casamento à Indiana", "Feira das Vaidades") e Deepa Mehta (estabelecido no Canadá, diretor de "Elements Trilogy")", explicou.

Em uma recente turnê promocional na capital indiana do entretenimento, Mumbai, Bárbara Mori, a protagonista de "Kites", afirmou que este filme, em que fala em espanhol, tem um atrativo universal.

"Nossa intenção com esse filme era a de criar uma história de amor emotiva, pois as emoções são comuns a todo ser humano através do mundo, mesmo que os protagonistas do filme não falem o idioma do outro", explicou.