Maestro descobre a musicalidade indígena

JB Online

BELÉM - Um momento histórico para a cultura paraense se realiza neste domingo, às 19 horas, no Píer das Onze Janelas. A partir das 19 horas, o maestro Enaldo Oliveira se apresenta com a Orquestra Sinfônica do Teatro da Paz e mais três grupos de corais indígenas de três etnias. Tembé, Assurini e Guarany protagonizam o momento histórico em que indígenas da Amazônia se apresentam, pela primeira vez, com uma orquestra.

Depois de visitar as aldeias e ter acesso a rituais fechados, Enaldo Oliveira levou vídeos dos indígenas para os arranjadores Elielson Gomes e Serguei Firnasov, que escreveram contrapontos e harmonias para os cantos indígenas. O resultado será uma apresentação com seis canções cantadas pelos indígenas e outras três com as melodias dos tembé, mas sem a participação deles.

"A música para o índio é diferente. Ela está ligada a sentimentos profundos de sua existência. Essas duas canções que tocaremos só o arranjo para orquestra, os Tembé só podem cantar durante os rituais. Eles, no entanto, foram generosos e deixaram a gente executar a nossa versão", brinca o maestro Enaldo.

Depois de entrar no Teatro da Paz pela primeira vez, Raimundo Tembé, regente e professor na sua aldeia, disse que estava emocionado antes de começar os ensaios. "Nunca imaginei que ia estar aqui. Essa foi uma surpresa muito grande para a gente", disse ele, segurando no braço a pequena Hayruanahy, de apenas três anos e que já canta no coral.

A abertura do espetáculo será com a execução do hino nacional pela cantora indígena Liliane Xipaia. A apresentação será de Eunice Baia, que interpretou a personagem Tainá nos dois primeiros filmes da série.

A abertura da IV Semana dos Povos Indígenas (Sepi) começa oficialmente em Belém com apresentações musicais e exposições, e segue com uma vasta programação pelas cidades do interior até o dia 28. Haverá também, em Belém, apresentações musicais e abertura do "Circuito Cultural Nós Indígenas", com exposições de acervos indígenas com um panorama da cultura desde os primeiros contatos até os tempos atuais. "Nós Indígenas - Guardiões da Floresta" é o tema da IV Sepi, e o objetivo é afirmar a livre expressão dos povos indígenas como sujeitos da história.