Morre ex-empresário e criador do grupo punk Sex Pistols

Agência AFP

LONDRES - Malcolm McLaren, ex-empresário do emblemático grupo punk britânico Sex Pistols, morreu nesta quinta-feira em Nova York, aos 64 anos, vítima de um câncer, informou seu porta-voz Les Molloy. Coincidentemente, McLaren morre no dia do aniversário de sua ex-mulher, a estilista britânica Vivianne Westwood.

A saúde de McLaren deteriorou-se bruscamente, explicou o porta-voz.

Malcolm McLaren é considerado o pai do movimento punk no final dos anos 1970 por ter contribuído com a formação dos Sex Pistols e também ter-se envolvido com os New York Dolls.

Nascido em Londres em 1946, McLaren continuou sua carreira nos anos 1980, depois da separação dos Sex Pistols, à frente do grupo Public Image Limited (PIL).

"Penso que foi uma das personalidades mais importantes da música mundial", afirmou Molloy à emissora Sky News. "Com seu gênio, Malcolm pegou a cultura dos jovens da época e a fez explodir."

"Foi algo que fortaleceu a nação", completou o porta-voz. "Não esqueçamos que ele teve muito sucesso como artista e contribuiu para a introdução do hip-hop e do rap no Reino Unido", disse.

"Sem Malcolm McLaren não teria havido o movimento punk", disse por sua vez o jornalista Jon Savage, autor de um livro sobre a história do punk e dos Sex Pistols, chamado "England's Dreaming".

"É uma das poucas pessoas que teve um impacto excepcional na vida social e cultural do país", endossou.

Malcolm McLaren foi casado com a estilista Vivienne Westwood, fundadora da marca de lingerie Agent Provocateur, com quem teve um filho, Joseph, em 1967.

Depois de passar a infância no bairro popular de Stoke Newington, no norte da capital britânica, estudou arte na St. Martin's College of Arts e no Goldmiths College, em Londres.

De 1975 a 1977, dirigiu com Vivienne Westwood uma loja de roupas na famosa King's Road, no bairro de Chelsea, centro de Londres.

Também foi empresário do grupo americano New York Dolls, antes de lançar os Sex Pistols - banda que impressionou a Inglaterra por suas canções que tiravam "sarro" da rainha, enquanto seu vocalista, Johnny Rotten, de cabelos verdes, revolucionava o rock britânico.

Mais tarde lançou seus próprios projetos musicais, como o álbum "Duck Rock" de 1983, e teve grande êxito na Grã-Bretanha com canções como "Double Dutch".

Malcolm McLaren continuou lançando álbuns até a primeira década deste século, entre eles "Shallow - Musical Paintings", no ano passado.

Segundo o porta-voz, citado pelo jornal The Independent, seu corpo será levado a Londres e enterrado no cemitério de Highgate.