Criador dos Sex Pistols, Malcolm McLaren morre de câncer, aos 64

Da Redação, Jornal do Brasil

LONDRES - O empresário e compositor britânico Malcolm McLaren, considerado por muitos como o pai espiritual do movimento punk, morreu em Nova York aos 64 anos, de acordo com o anúncio de seu empresário, feito na tarde de quinta-feira. O estado de saúde de McLaren, que lutava contra o câncer há anos, agravou-se rapidamente nos últimos dias. Seu corpo deverá ser levado para Londres e enterrado no cemitério de Highgate, conforme seu porta-voz informou ao jornal inglês The Independent.

Marido da estilista Vivienne Westwood e dono de uma loja de roupas alternativas em Londres, com o provocante nome SEX, McLaren foi o responsável por um impacto sem precedentes na maneira de se vestir da juventude turbulenta da década de 70. Foi em sua loja que encontrou os membros da banda Sex Pistols, da qual iria tornar-se empresário, tornando-a a precursora dos grupos do movimento punk inglês. Ele também gerenciou a trajetória dos New York Dolls, Adam and The Ants e Bow Wow Wow. Este último causou escândalo quando sua líder, a vocalista e compositora Annabella Lwin, de apenas 13 anos, posou nua para a capa do primeiro álbum do grupo.

Inspirado pelas ações nonsenses e provocadoras do situacionismo, do qual foi um grande entusiasta na juventude, McLAren foi a cabeça pensante das estratégias publicitárias que fizeram do punk um fenômeno mundial, elaborando a estética de um movimento que tentou redimensionar, na música e na moda, a rebeldia.

Homem de personalidade difícil, teve diversas brigas com os Pistols e outros artistas com os quais trabalhou fato que acabou obscurecendo seu papel no desenvolvimento dos modismos do punk, desde a parte estética à visual. Sua contribuição para a música e à moda no século 20, porém, é crucial e inegável.

Do hip hop à ópera

Como compositor, McLaren lançou-se numa carreira solo a partir de 1983, e ajudou a dar maior visibilidade a ao hip-hop com o álbum Duck rock, que misturava influências africanas com ritmos americanos. No álbum seguinte, interessou-se por música eletrônica e ópera. McLaren também produziu filmes e programas de televisão. Ávido por promoção e publicidade, chegou a participar do reality show Big Brother: celebrity hijack.