Franz Ferdinand faz show para quase 6 mil pessoas em SP

Portal Terra

SÃO PAULO - Em sua quarta passagem pelo Brasil, o Franz Ferdinand lotou a Via Funchal, em São Paulo, na noite desta terça-feira, com um conforto extra e o sentimento de tocar "em casa". Liderada pelo carismático Alex Kapranos, a banda escocesa botou 5.800 pessoas, segundo os organizadores, para dançar ao som dos seus hits já consagrados e canções do álbum mais recente, Tonight (2009).

Marcado para 22h, o grupo criou muita expectativa e só apareceu vinte minutos depois de uma vinheta e um intenso jogo de luzes. Assim como ocorreu nos shows anteriores desta turnê no Brasil, a banda abriu com Bite Hard, do disco mais recente. Sem economizar hits, o Franz Ferdinand logo atacou com The Dark of the Matinée e Tell Her Tonight, ambas do CD de estreia, de 2004, e famosas por seus riffs dançantes.

O início contagiante foi suficiente para colocar todos os fãs pulando e logo elevar a temperatura e transformar a casa em uma sauna. Já familiar dos brasileiros, Kapranos soltou diversos "obrigados" com o tradicional sotaque e gritou "São Paulo" diversas vezes. A surpresa foi a frase decorada pelo vocalista que arrancou risos do público. "É isso aí, mano", disse.

Mantendo o show no alto, o grupo provou que tem hits de sobra para montar um repertório forte. Ainda na sequência, a banda encaixou No You Girls, The Fallen e Can't Stop Feeling. Comandados por Kapranos, com exceção do contido baixista Bob Hardy, o guitarrista Nick McCarthy e o baterista Paul Thomson liberam energia sem parar. Sempre com os riffs marcados e certeiros, McCarthy e Kapranos juntam suas guitarras, se ajoelham e caminham na beirada do palco para o delírio dos fãs que se esmagaram para conferir a banda de perto.

Dali em diante, a banda intercalou as canções do álbum mais recente com os hits consagrados como Walk Away, Do You Want To e Take Me Out. Confortáveis com seus hits, o Franz Ferdinand também abusa dos longos improvisos em suas canções e jams sessions.

Na explosiva This Fire, a banda cravou um dos momentos mais empolgantes do show com a versão cantada em coro e colocou praticamente todo a Via Funchal para pular. No entanto, a canção que costumeiramente fechava os shows do Franz, não foi a última. Para finalizar esta primeira etapa, a banda escolheu Outsiders, de seu segundo álbum, e fez um improviso similar ao que fazia com This Fire. Reunidos em volta de uma bateria, todos os membros pegaram baquetas e batucaram diversos ritmos com aquele "swing escocês" para finalizar o primeiro bloco do show de forma apoteótica.

Depois de alguns minutos de expectativa, a banda retornou ao palco com a canção All My Friends, cover do LCD Soundsystem, Michael e Darts of Pleasure. Mostrando que a banda ainda não estava cansada, o quarteto emendou 40 ft, que também ganhou uma longa jam. Os músicos fizeram solos, subiram nos amplificadores - estes que foram estilizados com logos da banda - e tocaram de forma enérgica.

Quando tudo indicava que o grupo estava esgotado, mais uma. O Franz Ferdinand finalizou sua apresentação com Lucid Dreams em clima de balada. A música, que está no seu álbum, mostra essa faceta mais dançante ainda do quarteto. Acompanhada de imagens retrô no telão, o grupo levou o público em uma viagem com o som eletrônico vindo dos sintetizadores e programações. Fica o destaque para o baterista Paul Thomson, que segurou a bronca com bom ritmo e com boas quebradas de tempo. Com 1h50 de show, o grupo se despediu da suada e satisfeita plateia. "Obrigado aos fãs do Brasil. Essa é nossa quarta vez e cada vez é melhor", disse Alex.

Menos de uma hora depois de deixar o palco da Via Funchal, Alex Kapranos correu para o Twitter, a rede de microblogs, e agradeceu o público paulistano. "São Paulo, obrigado por me fazer sentir vivo. Estive me sentindo quase morto nas últimas 48 horas na cama com tremedeira e pus nas amígdalas", disse.