Grupo teatral Deznecessários comanda nova fase do 'Quinta categoria'

Paulo Ricardo Moreira, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Se alguém disser que o humor deles é de quinta , vai soar como elogio. Novos contratados da MTV, os humoristas Paulinho Serra, Rodrigo Capella e Thalita Werneck, da companhia teatral Deznecessários, assumem, a partir de março, o comando do Quinta categoria, atração que já foi apresentada por Marcos Mion e tinha participação do grupo Os Barbixas. Os protagonistas da nova fase do programa vão continuar investindo nos jogos de improviso, situações sem roteiro definido, mas sabem da necessidade de variar o repertório de jogadas.

Quando se muda um time, o jogo fica diferente. Eles (Mion e Os Barbixas) jogavam de um jeito, e nós jogamos de outro. Num dos esquetes que criei, por exemplo, falamos de relacionamento de casais. O legal é que estamos fazendo teatro na TV vibra Paulinho Serra, líder do grupo, que não teme comparações. Isso é normal. Se a gente fizer gol, as pessoas vão nos aceitar e esquecer os outros.

Interação com a plateia

O trio começou a gravar os primeiros programas na última sexta-feira, com direito a cenário e plateia renovados. A ideia é levar convidados a cada edição e chamar pessoas da plateia para interagir com eles no palco. Mas Paulinho garante que o grupo não tem intenção de esculachar ninguém:

Acho que o riso tem a função de transformar, mudar as coisas. Não é só tirar sarro. Prefiro o autoescracho do que escrachar o outro.

Carioca de Bangu, 32 anos, Paulinho Serra faz teatro há 15 e criou o Deznecessários há três. O grupo já foi visto por mais de 300 mil pessoas no teatro e é campeão de acessos no YouTube. O vídeo do Traficante Gay, personagem que Paulinho interpreta no espetáculo, virou uma febre na internet. O humorista ficou ainda mais conhecido depois de entrar para a trupe do Pânico, da RedeTV!, em 2008. Durante um ano e meio, deu vida a tipos como o Bee Gees Dourado e o Repórter Chorão.

Deixei o programa porque estava atrapalhando a nossa peça. Não podia prejudicar o grupo que criei. Foi uma passagem marcante, mas estava difícil conciliar o teatro com as gravações explica. Não consegui vestir a camisa do programa por causa do ritmo.

Paulinho também atuou em novelas como Pé na jaca, Beleza pura e Duas caras. Para esta última, foi convidado pelo diretor Wolf Maya, que o assistiu no teatro. Apesar de seu personagem, o professor Guevara, não ter tido repercussão, ele diz que a novela das nove serviu como um aprendizado.

Contracenei com nomes como Paulo Goulart e José Wilker, e aprendi muito com eles afirma. Tenho vontade de fazer outra novela, mas não é minha prioridade. Adorei trabalhar com o Wolf, o cara é um gênio. Se ele me convidasse para um papel bacana, eu aceitaria.