Jean Luc-Godard: retrospectiva privilegia filmes em película

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - Primeiro evento comemorativo dos 80 anos de Jean-Luc Godard, a mostra Godard 80, que começa nesta terça-feira na Caixa Cultural, aposta nos clássicos de sua filmografia. Ficaram de fora os trabalhos mais desconhecidos do diretor, que mal chegaram no circuito comercial brasileiro. É claro que sempre será um prazer rever clássicos como Acossado, O demônio das onze horas, Alphaville, Uma mulher é uma mulher ou O desprezo. Mas e quanto às colagens-poéticas do diretor, ou os filmes maoístas codirigidos com Jean-Pierre Gorin, ainda raros no Brasil?

Como se trata de uma mostra comemorativa, achamos que fazia mais sentido priorizar os filmes mais famosos, disponíveis em película observa Alexandre Guerreiro, curador da mostra, que também exibirá uma série de fotografias tiradas pelo próprio cineasta nos sets de seus filmes. Não valia a pena mostrar filmes que só conseguiríamos passar em DVD. Também é importante apresentar às novas gerações as obras clássicas de Godard, já que muitos não as conhecem.

Para Guerreiro, é uma chance para que os espectadores mais jovens descobrirem o quanto o autor estava à frente do seu tempo.

Muitos não viram os filmes mais antigos e acham que as modernidades dos longas atuais são inéditas, quando na verdade já foram exploradas por Godard muito antes.