Fragmentos e pinturas rupestres param obra no São Francisco

Portal Terra

SÃO PAULO - A descoberta de um sítio arqueológico com fragmentos cerâmicos e pinturas rupestres em Custódia, a 350 km de Recife, suspendeu o trabalho de terraplenagem das obras de transposição do rio São Francisco. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com reportagem publicada no jornal, os vestígios podem ter milhares de anos. São gravuras talhadas em pedras e que não se assemelham à forma humana ou animal. Já os fragmentos de cerâmica foram encontrados a 100 metros das gravuras.

Cercada de polêmica, a obra de transposição do rio São Francisco foi orçada em R$ 5 bilhões e, quando estiver pronta, vai atender aos estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte. De acordo com estudos do governo, ela levará água a 12 milhões de pessoas.