Com tablet, Apple vê dinheiro novo na velha mídia

Portal Terra

NOVA YORK - A Apple espera remodelar o mercado da mídia tradicional a partir do lançamento do tablet, na próxima semana. Steve Jobs, principal executivo da companhia, aposta nos lucros com livros, jornais e televisão da mesma maneira que ocorreu com o iPod e a indústria da música, além de expandir a influência da Apple como intermediária de conteúdo.

Ao desenvolver o tablet, a Apple se focou na possibilidade de que no futuro o dispositivo será compartilhado por várias pessoas de uma família em atividades como ler notícias e verificar e-mails, por exemplo, dentro de um mesmo lar. A empresa vê no equipamento potencial para revitalizar a televisão, revistas e jornais da mesma maneira que o iTunes fez com as músicas.

Para uso nas salas de aula, o tablet também funciona como e-reader, permitindo download de livros. Especialistas no ramo disseram ao The Wall Street Journal que a Apple planeja como jornais e revistas poderão ser apresentados de maneira diferente no dispositivo. Uma das possiblidades é de que o tablet seja equipado com um teclado virtual.

Recentemente, a Apple começou a discutir com o New York Times, Condé Nast Publications Inc. e com a HarperCollins Publishers e sua dona, a News Corp, que também possui o The Wall Street Journal, formas de vender conteúdo para uso no tablet.

O principal executivo do New York Times, Arthur Sulzberger, se recusou na quarta-feira a comentar o assunto numa entrevista, dizendo apenas "fique ligado".

A Apple também negocia com redes de televisão, como CBS Corp e a Disney, que é dona do canal ABC, para um serviço com assinaturas mensais.