Prévia do Oscar, Globo de Ouro premia experimentações de 'Avatar'

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - O bilionário longa Avatar conquistou o júri do Globo de Ouro com a mesma ferocidade com que continua arrasando bilheterias no mundo inteiro. A 67ª edição da segunda maior premiação do cinema e da TV dos EUA, espécie de prévia anual do Oscar, consagrou a fábula antimilitarista de James Cameron nas duas principais categorias: Melhor Filme Dramático e Melhor Diretor. A cerimônia, apresentada por Ricky Gervais (cocriador da série The office) foi marcada por pedidos de ajuda às vítimas do Haiti, devastado na semana passada por um terremoto, fato que comoveu toda a comunidade internacional. Enquanto celebridades compareciam à festa com fitas vermelhas em suas roupas, a atriz Maggie Gyllenhaal fez um apelo para que o público presente doasse tão generosamente quanto possível . Já Meryl Streep, duplamente indicada como atriz na categoria Comédia por Simplesmente complicado e Julie & Julia, clamou por auxílio no setor da saúde.

Segunda maior bilheteria da história do cinema (atrás, até agora, apenas de Titanic, do mesmo diretor) e visto como um possível divisor de águas na indústria, Avatar despontava como favorito, apesar da forte concorrência da comédia Amor sem escalas, segundo longa de Jason Reitman (Juno).

Na mesma categoria, concorriam o épico antinazista de Quentin Tarantino (Bastardos inglórios; Preciosa, drama sobre uma garota obesa que arrancou elogios em diversos festivais, e Guerra ao terror, elogiado longa de Kathrin Kathryn Bigelow sobre a invasão americana ao Iraque, único indicado na categoria a sair sem nenhum prêmio.

Amor sem escalas acabou dando a Jason Reitman o Globo de Ouro de Melhor Roteiro e Preciosa consagrou Mo'Nique, que interpreta a mão da personagem principal, como Atriz Coadjuvante. A interpretação primorosa de Christophe Waltz como um oficial nazista e implacável caçador de judeus em Bastardos inglórios, já recompensada com a Palma de Ouro no último Festival de Cannes, recebeu sem surpresas o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante.

Um dos campeões de bilheteria nos Estados Unidos em 2009, Se beber, não case ficou com o troféu de Melhor Filme Cômico, superando Simplesmente complicado, Julie & Julia, Nine e a comédia romântica indie 500 dias com ela.

Um dos momentos curiosos da noite foi a disputa entre James Cameron e Kathryn Bigelow. Os dois, que já foram casados, concorriam em lados opostos, por longas que criticavam abertamente o belicismo americano. Guerra ao terror, de Kathryn, está sendo considerado pelos críticos americanos com o melhor obra já realizada sobre a Guerra no Iraque, enquanto Avatar tem revoltado os meios conservadores, que os classificaram, desde o seu lançamento, de esquerdista , maniqueísta e antiamericano .

Queremos mostrar que tudo está conectado. Se temos que ir a outro planeta para entender o nosso, então esse é o poder do cinema discursou James Cameron ao receber o prêmio das mãos de Julia Roberts.

No quesito Ator de Musical ou Comédia, brilhou o Sherlock Holmes encarnado por Robert Downey Jr, desbancando Matt Damon, Daniel Day-Lewis, Joseph Gordon-Levitt e Michael Stuhlbarg. O ator fez um discurso descontraído, dando a entender que não precisava agradecer a ninguém.

O filme não seria nada sem mim brincou. Na verdade, achei que Matt Damon ia ganhar, nem preparei uma fala para este momento.

'Mad men' amplia domínio

Nomeado pela quarta vez, o ator Michael C. Hall, que representa o psicopata do bem da série Dexter, finalmente levou o troféu de Melhor Ator (o segundo da série na noite). Foi sua primeira aparição pública depois de ser diagnosticado com um câncer linfático. Usando gorro para disfarçar os efeitos do seu tratamento médico, afirmou que inicialmente não iria expor seu problema de saúde. Porém, diante das evidências físicas de que não estava bem, resolveu expor-se publicamente.

Ainda nos prêmios televisivos, Mad men prolongou pelo terceiro ano consecutivo sua dominação, enquanto a estreante Glee superou a então atual bicampeã 30 rock.