Grupo emergiu da cena das raves dos anos 90

Philippe Noguchi, Jornal do Brasil

RIO - O grupo The Prodigy iniciou a sua carreira em 1990 praticamente por acaso, quando Liam Howlett, Keith Flint e Leeroy Thornhill se cruzaram numa boate em Essex, cidade onde viviam, e decidiram formar um grupo. Flint e Thornhill procuraram Liam, que era DJ, e perguntaram-lhe se ele poderia lhes fazer alguns mixes. Ele logo propôs a Keith que formassem uma banda, ideia aceita prontamente. Keith e Leeroy apresentavam-se inicialmente somente como dançarinos e Liam assumia as composições.

Para a primeira apresentação, em meados de 1990, o MC Maxim Reality foi convidado e acabou permanecendo como membro. As bases eletrônicas criadas por Liam inovavam com o cruzamento de gêneros como techno, hip hop, rock e reggae, e rapidamente começaram a chamar a atenção de produtores de grandes festivais de música eletrônica.

O Prodigy passou então a tocar em raves pelo Reino Unido e mais tarde em grandes festivais em todas as partes do mundo. Mas o grupo despontou realmente em 1997 com o lançamento do single frenético Firestarter, música que se transformou num grande hit na qual Keith Flint assume os vocais pela primeira vez. O videoclipe exibe o ex-dançarino com um visual punk completamente repaginado e passa a tocar exaustivamente nas rádios e emissoras de TV britânicas. A consagração do trio se completou com o single que veio a seguir, a sombria Breathe (cantada por Maxim), que alcançou o topo das paradas em nada menos que 22 países. A partir daí, Flint passa a assumir oficialmente a posição de vocalista da banda, ao lado de Maxim.

Em 2000, Leeroy Thornhill, que atuava ainda como dançarino, abandona o grupo e passa a se dedicar exclusivamente a seu projeto paralelo, Flightcrank. O grupo seguiu numa mistura agressiva de influências e acabou se tornando uma das maiores referências mundiais na música eletrônica, influenciando uma série de outros artistas. O Prodigy acumulou parcerias com artistas de peso: entre eles estão a atriz e cantora Juliette Lewis, Liam Gallagher (vocalista do agora extinto Oasis) e, mais recentemente, Dave Grohl (Nirvana, Foo Fighters, Them Crooked Vultures) que gravou a bateria das faixas Run with the wolves e Stand up, do último disco.