Fitas secretas da Casa Branca rendem novo livro sobre Clinton

REUTERS

WASHINGTON - Bill Clinton reuniu-se 79 vezes com o premiado historiador Taylor Branch, na Casa Branca, enquanto era presidente dos Estados Unidos, para gravar um diário secreto de sua presidência. O resultado das entrevistas é um livro novo, 'The Clinton Tapes: Wrestling History with the President', que apresenta uma visão nova de fatos importantes, como a direção que Clinton imprimiu à economia e ao déficit, a ascensão da Al Qaeda e o escândalo envolvendo Monica Lewinsky.

Desde que o escândalo de Watergate derrubou Richard Nixon, os presidentes norte-americanos têm tomado muito cuidado em relação a gravar fitas na Casa Branca. Mas Branch e Clinton tinham trabalhado juntos quando tinham 20 anos, e Clinton propôs que as fitas fossem gravadas como registro histórico de sua presidência. O que aconteceu de fato foi que Clinton ficou com as fitas, e o livro de Branch é baseado nas anotações que o historiador fez na época das gravações.