Franz Ferdinand anuncia mais shows e exalta música do Brasil

Portal Terra

SÃO PAULO - Depois de se apresentar no Motomix Festival, em 2006, a banda escocesa Franz Ferdinand voltou ao Brasil para uma apresentação nesta quarta-feira, no clube The Week, e conversou com os jornalistas antes de subir ao palco. Além do evento, que precede outro show na cerimônia do VMB, que acontece nesta quinta-feira, os escoceses aproveitaram para confirmar uma nova turnê no Brasil em março do ano que vem.

Já com um contato mais próximo dos brasileiros, os escoceses surpreenderam os repórteres ao falar de música brasileira, principalmente o baterista Paul Thomsom, que enumerou uma grande lista de artistas que conhecia. Ao responder à tradicional pergunta "quais bandas brasileiras conhecem?", o vocalista Alex Kapranos limitou-se a citar o Bonde do Rolê, grupo de Curitiba que estourou lá fora, com uma pronúncia engraçada arrancando risos dos jornalistas.

Para a surpresa de todos, o baterista Thomson assumiu a palavra e listou vários nomes da música brasileira para os jornalistas, que corriam para anotar todos. Depois de Tim Maia, Jorge Ben Jor e Gal Costa, o músico ainda citou a banda Mercenárias, grupo punk do underground nacional.

Kapranos explicou essa característica "universal" da banda. -Somos uma banda internacional. Sempre tem um amigo que mostra alguma coisa nova e quando estamos em outro país aproveitamos para pegar algum disco nas lojas. Nunca nos vimos como uma banda escocesa. Nós vamos aos outros países e 'roubamos' o que há de bom - brincou o guitarrista Nicky McCarthy.

Depois de lançar dois discos de muito sucesso em um curto período - Franz Ferdinand (2004) e You Could Have It So Much Better (2005) - a banda chegou em 2009 com seu novo disco e logo recebeu algumas severas críticas sobre a mudança em sua sonoridade. Para o vocalista Alex Kapranos, o álbum segue a continuidade dos trabalhos anteriores. - Acho que há uma má interpretação desse disco. Muitos dizem que é muito exagerado. Nunca dissemos que não queríamos trabalhar com mais coisas eletrônicas. Esse álbum continua a empreitada de músicas dançantes que começamos nos CDs anteriores - explicou.

Carinho especial pelo Brasil, os escoceses já garantiram que têm. Após passar pelo país em 2006, os integrantes lembraram do show que fizeram no Circo Voador, no Rio de Janeiro, e exaltaram a importância de apresentações mais intimistas.

- O Brasil é um lugar empolgante. O show no Rio foi muito intenso. De todos os lugares que tocamos, aqui é um lugar muito especial - afirmou Kapranos.

Nesta nova passagem pelo Brasil, ao responder sobre o show do VMB lembrando o fiasco do Bloc Party tocando em playback no ano passado, o grupo foi direto: "Vamos tocar ao vivo".