Ex-mulher de Jackson abre ação por calúnia sobre guarda de filho

REUTERS

LOS ANGELES - A ex-mulher de Michael Jackson, Debbie Rowe, abriu processo por difamação contra uma mulher, depois de circularem na imprensa alegações de que Rowe estaria disposta a aceitar milhões de dólares para abrir mão do direito da guarda dos dois filhos que teve com o popstar.

Na ação registrada na Corte Superior de Los Angeles, Rowe afirma que Rebecca White cometeu difamação e invasão de privacidade e lhe causou sofrimento emocional propositalmente.

White alegou ser 'amiga íntima' de Rowe, segundo a ação. As duas mulheres de fato se conheciam. De acordo com a ação, White falsificou e-mails e outros comunicados que alegou que lhe foram enviadas por Rowe. Em um caso, White disse a um órgão de mídia não identificado que Rowe lhe enviara um e-mail dizendo que não queria a guarda das crianças, mas que se não brigasse pela guarda isso causaria impressão negativa.

Na realidade, segundo a ação, Rowe e White nunca trocaram e-mails relativos a Jackson, a família dele ou os filhos deles. Além disso, Rowe não teria trocado e-mails com White desde que Jackson morreu, no mês passado, segundo a ação.

A expectativa é que Rowe compareça a uma audiência marcada para segunda-feira para discutir a guarda dos três filhos de Michael Jackson. Ela é mãe de Prince Michael, 12 anos, e Paris, 11. Prince Michael II, mais conhecido pelo apelido 'Blanket', nasceu de uma mãe de aluguel desconhecida.

Debbie Rowe não foi mencionada no testamento de Michael Jackson, no qual o cantor indicou que a guarda de seus filhos deveria ficar com sua mãe, Katherine Jackson.