Amir Slama homenageia Elza Soares na última coleção para a Rosa Chá

Portal Terra

SÃO PAULO - A última coleção assinada por Amir Slama para a Rosa Chá acaba de ser divulgada pela empresa Marisol, detentora da marca. O estilista, que se desligou completamente da grife criada por ele nos anos 90 no último dia 30 de junho, inspirou-se para o verão 2010 no suingue e em diversas fases da vida da cantora Elza Soares. Um dos elementos que une todas as etapas da carreira é o alfinete - amuleto da sorte que Elza usa desde sua primeira apresentação pública num programa de calouros. Na ocasião, ele teve de colocar o objeto para ajustar um vestido de sua mãe em seu corpo magro.

- Mergulhei totalmente no universo musical de Elza Soares e fiz várias entrevistas com ela para buscar a inspiração da coleção - contou Amir Slama ao Terra, em maio, quando foi anunciada sua saída da marca. A coleção inverno 2010 será feita por Alexandre Herchcovitch. As peças da coleção de verão chegarão às 26 lojas próprias (três delas no Exterior: Nova York, Lisboa e Istambul, na Turquia) e às 100 franquias no Brasil dia 10 de agosto.

A elegância e a sofisticação da marca se traduzirão com cambraias, tecidos amassados, retorcidos e também em outros tipicamente brasileiros, como chita e guipires que remetem aos rendados. As peças, que custam de R$ 79,90 (sutiã) a R$ 790 (vestido), vêm em modelagens como o tomara-que-caia tradicional e de um ombro só. Na cartela de cores estão carbono, verde, laranja, roxo, amarelo-lima, bege-mulata e branco.

Nas texturas, os tecidos vêm com cambraias e outros tipos amassados e retorcidos. Nas formas e modelagens está o tomara-que-caia tradicional e também de um ombro só. As calcinhas são mais baixas e retas. A coleção traz tanto peças lisas como estampadas ou apenas o forro com estampas. Entre os temas, estão ainda futebol, espiritualidade e Carnaval.

O punk-rock experimentado pela cantora nos anos 80 é traduzido por franzidos e drapeados inspirados na grife Versace daquela década. Há ainda rosas, como as tatuadas no corpo da cantora, e também poás irregulares. A coleção da Rosa Chá é composta por biquínis, maiôs, sungas, calças, vestidos e bermudas, sempre apostando no lifestyle brasileiro.

O estilista Amir Slama está em negociação com uma loja de departamento para criar uma coleção. Foi divulgado que seria a Riachuelo, nome negado por ele. Até o fim do ano, ele pretende também lançar uma nova grife com seu nome de roupa de praia, de forma mais artesanal e menor do que é a Rosa Chá. Algo pequeno, em suas palavras.

Atualmente, Slama, presidente da Associação Brasileira de Estilistas, é dono dos restaurantes e casas noturnas 3x4, Mokaï e do Club A, com abertura programada para setembro. Mas ele é enfático: 'Não sou empresário da noite, sou estilista, tanto que desenhei os uniformes do Mokaï'.