Pastor pede necropsia independente de Michael Jackson

Portal Terra

DA REDAÇÃO - O reverendo Jesse Jackson, que passou todo o dia de sexta-feira (26) junto com a família de Michael Jackson, morto na quinta-feira (25) aos 50 anos, disse neste sábado à rede de televisão americana ABC que a família deverá realizar uma "necropsia independente" do corpo do cantor. "Sinceramente, a família precisa de uma necropsia independente. Estou seguro de que eles deveriam fazer isso, e provavelmente o farão", declarou.

O pastor negro, militante dos direitos cívicos, também se referiu às muitas questões não resolvidas sobre a morte do ídolo, que envolvem principalmente o papel desempenhado pelo médico particular do astro, Conrad Murray. "Quando o médico veio? O que fez? Deu uma injeção em Michael? E se deu, qual foi a substância injetada? O médico voltou muito tempo depois de ter sido chamado?", perguntou o reverendo. "A ausência dele levanta questões importantes, às quais só ele pode responder", prosseguiu.

O consumo excessivo de medicamentos foi amplamente citado pelos familiares do cantor como uma das causas possíveis para a morte. "Há suspeitas que pairam sobre este médico, e com razão, pois qualquer outro médico diria: 'Isso foi o que aconteceu durante as últimas horas de vida de Michael Jackson. Eu estava lá. Lhe dei medicamentos'", declarou o pastor Jackson, que não tem nenhum parentesco com o cantor. "Em vez de fazer isso, o médico deixou o local e abandonou seu carro. Quem veio buscá-lo? Por que a polícia apreendeu seu veículo?", ainda perguntou o reverendo. O médico "deve à família e a o público" explicações sobre as últimas horas de vida de Michael Jackson, afirmou, sentenciando que "nesse caso, o problema não é a automedicação, mas o médico".

Adeus ao rei do pop

Os rumores sobre a morte de Michael Jackson começaram a aparecer por volta das 13h (horário de Los Angeles), 17h em Brasília, da última quinta, 25 de junho, quando uma ambulância foi chamada para socorrer o cantor em sua casa, no bairro de Bel Air. Momentos depois da chegada de Jackson ao UCLA Medical Center, o site de celebridades TMZ publicou a notícia de que o cantor havia morrido. Em seguida, o jornal Los Angeles Time confirmou a informação. A morte de Jackson só foi oficialmente divulgada por volta das 15h (19h em Brasília), quando o Instituto Médico Legal da cidade confirmou o falecimento do ídolo pop. O tenente Fred Corral, porta-voz do IML local, disse à rede de televisão CNN que Jackson foi declarado morto às 14h26 (18h26 em Brasília).