No Santa Marta, todo dia é dia de Michael Jackson

Camilla Lopes, Jornal do Brasil

RIO - A comunidade Dona Marta nunca mais foi a mesma após a curta estadia do cantor Michael Jackson, em 1996. O astro passou a ser objeto de adoração para os moradores do morro. A laje onde gravou um trecho do clipe They don't care about us parte do vídeo foi gravado também em Salvador foi batizada por eles como Laje Michael Jackson. Agora, após a sua morte, o espaço vai receber uma estátua construída pelo governo do estado.

O técnico de informática e morador do Santa Marta, Luiz Paulo Assis, trabalhou como assistente de câmera nas seis horas de filmagem do clipe, dirigido pelo cineasta norte-americano Spike Lee.

Luiz Paulo afirma que tem a certeza de que Michael Jackson nunca os esqueceu.

Ele não nos esqueceu, tenho certeza de que em nenhum lugar por onde ele esteve encontrou o calor humano que nós demos.

Memória

O entregador Nathan da Silva alugou sua casa para servir de camarim para Michael. Mas lamenta que, ao invés do cantor, quem ficou lá foi o cineasta.

Eles me pagaram R$ 300 reais e colocaram papel de parede na casa inteira. Fiquei de longe só vendo, mas quem veio? O Spike Lee. O Michael não usou a casa.

Indagado sobre suas memórias do cantor, Nathan responde prontamente:

Eu sempre vou lembrar dele. Sabia que ele tinha a minha idade? 50 anos. Uma pena mesmo ele ter morrido lamenta.

No Santa Marta, Jackson influenciou também as novas gerações. É o caso do estudantes Wesley Souza, de 18 anos. O rapaz tinha apenas 5 anos de idade quando viu o astro na comunidade. Foi o suficiente.

Nunca vi alguém dançar daquele jeito. Eu fico em frente à televisão e tento fazer todos os passos afirma o rapaz, usando um chapéu ao estilo Michael Jackson.