Michael Jackson morre e deixa um rastro de influências e hits eternos

JB Online

DA REDAÇÃO - Considerado o rei do pop, um ícone da música mundial, o cantor e compositor Michael Jackson morreu no início desta noite de quinta-feira (horário de Brasília), vítima de uma parada cardíaca - a causa oficial será divulgada em coletiva nessa sexta-feira. Com mais de 750 milhões de discos vendidos e 45 anos de carreira - completados em 2008, o ídolo surgiu no grupo musical Jackson Five, composto por Michael - o caçula do conjunto - e mais quatro irmãos.

Segundo as primeiras informações, divulgadas pelo jornal Los Angeles Times e o site TMZ, especializado em celebridades mundiais, Jackson já teria chegado ao hospital de Los Angeles (o UCLA, centro hospitalar universitário) em coma profundo. A ligação de socorro da casa do astro foi recebida pela emergência da casa de Jackson às 12h21 (horário da Califórnia). Os paramédicos chegaram à residência do cantor cinco minutos depois e o encontraram sem respirar. Ele recebeu massagem cardíaca ainda dentro da ambulância, mas não resistiu às tentativas de reanimação.

Turnê mundial, com 50 shows, começaria em julho

O astro americano da música pop morre pouco antes da turnê mundial programada para começar no dia 8 de julho e que iria até fevereiro de 2010. Há 12 anos sem realizar uma grande temporada de shows - os ingressos foram vendidos na capital inglesa em 5 horas, Jackson estaria se preparando fisicamente com o ator Lou Ferrigno, do filme "Hulk", e vinha gerando desconfiança justamente pelas condições físicas dele. Apesar das negativas dos assessores do ator, tablóides sensacionalistas, como o inglês The Sun, davam conta que Michael Jackson lutava contra um câncer de pele. Em maio, o cantor já havia passado por exames no mesmo hospital de Los Angeles que veio a falecer nesta tarde de quinta-feira.

O hospital de Los Angeles onde Michael Jackson chegou em uma ambulância por volta de 13h no horário local fica próximo a universidades e centros residenciais, também cercado de prédios comerciais. A área está parcialmente isolada e tanto o trânsito como as ruas e calçadas mostram movimentação intensa. Uma multidão, formada principalmente por estudantes da universidade de Los Angeles e fãs do cantor, já cerca o centro hospitalar de UCLA.

"Não tem substituto"

Artistas brasileiros comentaram neste início de noite o impacto da morte de Michael Jackson na música, extremamento influenciada pelo artista que acumulou 58 discos de platina em toda carreira. A cantora Sandra de Sá ressaltou o lado guerreiro do ídolo, a luta durante toda a carreira, desde o início com os irmãos no grupo Jackson Five.

- Ele conseguiu mostrar não só a música, mas o ser humano com seu dom, com sua paixão, que era tão grande que chegou a extrapolar. Ele não tinha medo, tinha paixão pelo que fazia. A gente vê toda hora as crianças imitando ele, dançando igual, todos artistas que querem alguma coisa na vida também se espelham nele.

Para Gabriel O Pensador é difícil resumir a obra de Michael Jackson. Todas as polêmicas, diz Gabriel, ficam em segundo plano diante da carreira e dos sucessos do cantor.

- Realmente era um artista diferenciado. Desde criança acompanhei eles nos Jackson Five e meus filhos adoram ele e vão ficar tristes quando eu contar que Michael Jackson morreu. Era muito talento, ele transpirava música. A influência dele em diversos estilos, no hip-hop... E ele sabia usar coisas que ninguém consegue, como a produção, ou melhor a superprodução de shows, de clipes, as roupas que ele usava. É uma perda sem palavras. Não tem substituto.

O escritor e jornalista Maurício Valladares considera a História da música como "uma página virada" com a morte de Michael Jackson.

- O que a música será a partir de agora, com todo esse processo? Parece até que ele não quis voltar para o mundo da música, estava tudo pronto. É o artista que mais chegou às pessoas, com muita qualidade, por muito tempo. Ele era uma fábrica, uma usina de hist muito pontuais. Em qualquer época, em qualquer lugar no mundo se uma festa estiver devagar, você faz uma seleção de sequencia de Michael Jackson e pronto, vai pegar fogo - disse Valladares, apostando que o disco mais vendido do astro, Thriller, vai vender ainda mais - Ele é um deus em todos os sentidos. Ele vai ser mais do que nunca uma referência de como as coisas funcionavam ao sair de cena.

O cantor Ed Motta lembrou o traço marcante no estilo de dança do cantor americano

- Até hoje quando se fala em música popular, ele é a pessoa número 1 do mundo.