"Heróis": Mutações genéticas

Marco Antonio Barbosa, Jornal do Brasil

RIO - O maior problema deste filme não é seu caráter de aventura explicitamente genérica. Ou sua semelhança com a série de TV Heroes (jovens superpoderosos tentam escapar dos agentes de uma sinistra organização do governo) capitalizada de forma oportunista pela distribuidora nacional, que optou pelo mínimo denominador ao traduzir o título original Push, que se refere ao superpoder de um dos protagonistas. O problema mesmo é o desperdício de uma premissa inicial até interessante, que se dissolve num roteiro confuso e complicado demais.

Dakota Fanning, Camila Belle e Chris Bell estão entre a tropa de superdotados que precisa escapar da tal Divisão (representada por Djimon Hounsou). Colaborador antigo do diretor McGuigan, o diretor de fotografia Peter Sova arma um conjunto de exuberantes cenas de ação. Pena que elas são poucas e insuficientes para conduzir o cabedal de histórias paralelas e flashbacks embaralhados pela trama.